CEO’s de empresas tecnológicas reúnem-se com Trump

O CEO da Amazon, Jeff Bezos, foi convidado para a reunião mas a sua presença não está confirmada.

Os CEO’s de algumas das principais empresas de tecnologia do mundo vão encontrar-se com o presidente eleito Donald Trump em Nova York na quarta-feira, segundo relatos do The Wall Street Journal.

A lista de participantes inclui o CEO da Apple, Tim Cook, o CEO da Microsoft, Satya Nadella, o CEO do Alphabet, Larry Page, o COO Sheryl Sandberg, e o CEO da IBM, Ginni Rometty.

O CEO da Amazon Jeff Bezos foi convidado para a reunião mas a sua presença não está confirmada, algo que não surpreende já que Bezos tem sido publicamente crítico de Trump, e a sua relação é abertamente conflituosa desde a campanha presidencial.

A maioria dos participantes não afirmou publicamente que participaria na reunião com Trump, exceto o CEO da Cisco, Chuck Robbins, e a CEO da Oracle, Safra Catz.

Também não são conhecidos os temas em que a reunião vai incidir, mas é possível assumir que haverá discussão em volta dos pedidos de fabricação de itens como smartphones nos EUA e alterações ao código tributário.

Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta quarta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta quarta-feira.

Novo porto timorense de Tibar representa progresso significativo para o país, diz Ramos-Horta

“O objetivo do porto de Tibar é facilitar e promover a economia e fazer de Timor-Leste um centro de carga regional. Por conseguinte, é importante assegurar que o porto fornece serviços eficientes com uma tarifa competitiva que permita o crescimento das empresas, do comércio e do setor privado no país”, explicou.

Ucrânia: Portugal reforça com um milhão de euros pacote da NATO de ajuda não letal

“Portugal vai dar um contributo extraordinário para o pacote de assistência abrangente, que é um pacote da NATO para apoio não letal e, portanto, que será também dedicado à reposição da capacidade energética da Ucrânia. E demos hoje a indicação que avançaremos com uma contribuição extraordinária de um milhão de euros”, anunciou.
Comentários