Cerca de 5.000 manifestantes em Kiev contra pressões de Moscovo

Cerca de 5.000 manifestantes apelaram hoje em Kiev ao Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, para não ceder à pressão de Moscovo, na véspera do encontro com Vladimir Putin.

Ucrânia

Os manifestantes juntaram-se no centro da capital da Ucrânia num comício que apelidaram de “linhas vermelhas para Zelensky”.

Esta manifestação foi a resposta a um apelo do partido do ex-Presidente Petro Porochenko, mas também participaram ativistas do partido de extrema direita Svoboda.

O Quarteto da Normandia – França, Alemanha, Rússia e Ucrânia – reúne-se na segunda-feira para procurar recuperar um acordo de 2014 para sanar o conflito entre a Rússia e a Ucrânia.

“Tenho medo dos resultados da cimeira. Eu não espero nada de bom do nosso presidente, porque ele é uma pessoa fraca […]. Temo que ele vá vender os interesses do Estado “, disse Anna Gnylytska, manifestante de 47 anos, em declarações à agência France Presse.

O foco da cimeira de líderes será o conteúdo do acordo de Minsk – que propôs um cessar-fogo imediato, a retirada de armas pesadas, a restauração do controlo territorial na fronteira com a Rússia por parte de Kiev e maior autonomia para a zona sob controlo separatista.

A reunião contará com a participação dos Presidentes de França, Emmanuel Macron, Rússia, Vladimir Putin, e Ucrânia, Volodymyr Zelensky, e da chanceler alemã, Angela Merkel.

As relações entre Moscovo e Kiev estão tensas desde 2014, após a anexação da Crimeia pela Rússia e as denúncias ocidentais do apoio russo aos separatistas no leste da Ucrânia.

Recomendadas

Mercosul. Pedido de adesão uruguaio a outro bloco marcará cimeira

Uma cimeira “entretida” do Mercosul é a expectativa do Uruguai, país anfitrião e atual presidente do grupo comercial, para o próximo encontro regional onde o controverso pedido de adesão uruguaio a outro bloco comercial estará em debate.

Presidente israelita encontra-se com rei de Bahrein na primeira visita ao país

O rei do Bahrein, Hamad bin Isa al-Khalifa, recebeu este domingo o presidente de Israel, na primeira visita oficial de um chefe de Estado israelita ao reino após as duas nações terem estabelecido relações diplomáticas em setembro de 2020.

Blinken avisa Netanyahu sobre novos colonatos na Cisjordânia

O chefe da diplomacia norte-americana, Antony Blinken, avisou este domingo que os Estados Unidos se vão opor ao estabelecimento de novos colonatos na Cisjordânia ocupada pelo próximo governo israelita, quando Benjamin Netanyahu está prestes a voltar ao poder em Israel.
Comentários