Certificados de Tesouro Poupança Crescimento: Tudo o que precisa saber sobre o novo produto de poupança

Governo aprovou hoje a criação de um novo produto de poupança: os Certificados de Tesouro Poupança Crescimento (CTPC). O IGCP iniciará a sua subscrição em 30 de outubro de 2017.

D.R.

O Governo aprovou hoje a criação de um novo produto de poupança: os Certificados de Tesouro Poupança Crescimento (CTPC). O IGCP iniciará a sua subscrição em 30 de outubro de 2017.

“A criação dos CTPC visa fomentar a poupança de médio prazo dos cidadãos e dinamizar o acesso dos particulares a instrumentos de dívida pública com taxa fixa garantida, a que acresce um prémio a partir do segundo ano, determinado em função do valor do crescimento económico, medido pelo Produto Interno Bruto (PIB)”, de acordo com comunicado do Ministério das Finanças.

A remuneração definida para os CTPC encontra-se alinhada com as atuais taxas de juro da República Portuguesa. O ministério liderado por Mário Centeno realça que “estas taxas são resultado da melhoria das condições de financiamento e mantêm a atratividade que tem caracterizado estes produtos, complementando a atual oferta de Certificados de Aforro e de Obrigações do Tesouro de Rendimento Variável (OTRV)”.

Os CTPC são emitidos por prazos de sete anos e amortizados na respetiva data de vencimento ou antecipadamente, ao valor nominal, sujeitos às seguintes condições de subscrição:

Valor nominal de cada unidade: 1 EUR;

Mínimo de subscrição 1.000 unidades;

Máximo por conta de tesouro 1.000.000 unidades.

Cada subscrição vence juros com uma periodicidade anual (sem capitalização de juros) e o resgate só é possível um ano após a data-valor da subscrição. Decorrido o primeiro ano, poderão ser efetuados resgates, a todo o tempo, acarretando a perda total dos juros decorridos desde o último vencimento de juros até à data de resgate.

As taxas de juro fixadas para as subscrições a realizar a partir do próximo dia 30 de outubro têm o seguinte perfil de remuneração bruta:

1.º ano: 0,75%;

2.º ano: 0,75%;

3.º ano:  1,05%;

4.º ano: 1,35%;

5.º ano: 1,65%

6.º ano: 1,95%

7.º ano: 2,25%

A taxa de juro a partir do 2 º ano é acrescida de um prémio, correspondente a 40% do crescimento médio real do PIB a preços de mercado nos últimos quatro trimestres conhecidos no mês anterior à data de pagamento de juros.

O prémio apenas tem lugar no caso do crescimento médio real do PIB ser positivo e fica limitado a um máximo de 1,2% em cada ano, equivalente a 40% de um crescimento médio real do PIB de 3%.
Em simultâneo, com o início das subscrições dos CTPC, suspendem-se as novas subscrições de Certificados do Tesouro Poupança Mais.

Relacionadas

Governo aprova em Conselho de Ministros os novos Certificados do Tesouro Poupança Crescimento

Com a descida dos juros da República, é previsível que este novo produto de dívida pública para particulares saia mais barata ao Estado, o que significa menos remuneração para os subscritores.

Portugueses são bem aconselhados pelos gestores de conta? Estudo da Deco encontrou “de tudo”

Numa visita a 20 balcões de cinco bancos, a Deco conclui serem desadequadas as recomendações dadas aos investidores e surpreende-se por os PPR serem apresentados como receita para tudo e a compra de moedas de ouro ser aconselhada.

Simulações: veja quanto vai pagar de IRS em 2018

As mudanças de dos escalões de IRS, com o desdobramento do actual 2º e 3º escalão, vão levar a um desagravamento do imposto a pagar por todos os trabalhadores com salários brutos até 3.200 euros.

Novos escalões de IRS garantem poupança até 293 euros

O regresso aos sete novos escalões de IRS com o desdobramento do 2º e 3 escalão vai garantir um imposto mais baixo para salários brutos até 3.200 euros. Mexidas garantem alívio fiscal de até 293, 27 euros por ano (21 euros em cada um dos 14 meses).

Crédito ficou mais caro para as empresas e famílias em agosto

Segundo as notas estatísticas de agosto do Banco de Portugal os empréstimos concedidos pelos bancos às famílias para habitação e às empresas diminuíram em agosto para 2,3% e 2,6%, respetivamente, enquanto os empréstimos ao consumo aumentaram 9,5%.
Recomendadas

Lagarde avisa que taxas de juro vão continuar a subir

Dados da inflação na zona euro em novembro vão ser conhecidos esta semana. BCE reúne-se em meados de dezembro.

Cáritas já recebe pedidos de quem não consegue pagar empréstimo da casa

“O pânico foi imediato. O receio das pessoas, a angústia com que se aproximavam de nós a dizer ‘ai, se eu perco a minha casa’. É que nós tivemos uma crise em que houve muita gente a perder a casa; é recente ainda, está na memória das pessoas – 2008”, afirmou Rita Valadas.

Expectativas de exportação na Alemanha aumentam em novembro, diz Ifo

Depois de uma queda no mês anterior, a indústria automóvel volta a ter expectativa de crescimento nas exportações.
Comentários