CGD aprova pagamento de dividendo adicional ao Estado de 137 milhões

A Caixa Geral de Depósitos (CGD) aprovou esta quarta-feira, em assembleia-geral, o pagamento de um dividendo adicional de aproximadamente 137,2 milhões de euros, que se somam aos 241 milhões de euros anteriormente anunciados.

A Caixa Geral de Depósitos (CGD) aprovou esta quarta-feira, em assembleia-geral, o pagamento de um dividendo adicional de aproximadamente 137,2 milhões de euros, que se somam aos 241 milhões de euros anteriormente anunciados.

De acordo com a informação remetida à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), os acionistas aprovaram esta quarta-feira as contas da empresa e a proposta de aplicação dos resultados de 2021, que inclui “a distribuição de um montante adicional no valor de 137.160.380 euros nos mesmos termos e condições da deliberação do passado dia 29 de novembro de 2021”.

Esta proposta abrange ainda a transferência de 88.306.848 euros para a reserva legal, 241.070.965 euros para dividendos e 112.156.425 euros para incorporação na rubrica outras reservas e resultados transitados.

Os acionistas aprovaram também a nomeação de Nuno Rodrigues para presidente da mesa da Assembleia-Geral, para completar o mandato de 2020-2023.

Em 2021, o lucro consolidado da CGD ascendeu a 583 milhões de euros, mais 18,3% face a 2020.

Recomendadas

Deloitte diz que reavaliação pedida por Novobanco aos Fundos de Reestruturação gerou perdas de 313 milhões em 2020

No documento da Deloitte, são reveladas as “perdas em fundos [de reestruturação] de 313 milhões de euros, resultantes essencialmente de um processo de reavaliação por entidade externa promovido pelo Novobanco, que resultou numa desvalorização média de cerca de 47% face ao Net Asset Value apresentado nas contas dos fundos” de reestruturação.

Auditoria da Deloitte deteta desvio de 61 milhões em processo de reavaliação de 23 imóveis do Novobanco

O relatório da terceira auditoria especial ao Novobanco detetou um desvio de 61 milhões de euros no âmbito de um exercício de reavaliação de um conjunto de 23 imóveis.

Auditoria da Deloitte não encontrou “racional” em write-off do Novobanco

No caso de três devedores do Novobanco, foram realizados em 2020 abates parciais de dívida no montante total de cerca de 155 milhões de euros. Deste total, diz a Deloitte, em “77 milhões de euros não foram obtidos os suportes para o valor do abate parcial realizado e 78 milhões de euros o suporte disponibilizado não era suficiente para evidenciar o racional subjacente ao calculo do valor do abate parcial realizado”.
Comentários