CGD: Governo de Costa “bateu no fundo”, diz Passos Coelho

Líder do PSD defende que é obrigação do Governo dar uma explicação sobre o alegado acordo escrito entre o Executivo e António Domingues que dispensa os gestores públicos da apresentação das declarações de rendimentos ao Tribunal Constitucional.

O secretário-geral do PSD, Passos Coelho, acusa o Governo de António Costa de agir com “despudor total” e “indignidade” no caso da Caixa Geral de Depósitos (CGD), classificando a ação do Governo como uma “total falta de ética política.

“É um despudor total e eu penso que não é só uma indignidade para a função do Estado, eu acho que é também uma total falta de ética política. Se isto não é bater no fundo, o que é bater no fundo? Se isto não é faltar ao respeito às pessoas, o que é?”, disse Passos Coelho durante num jantar de homenagem a antigos autarcas em Vila Real.

Sobre o eventual acordo do Executivo e da administração do banco que dispensa os gestores públicos de apresentarem as suas declarações de rendimentos, o líder social-democrata sublinha que o governo deve “uma explicação aos portugueses”.

“Esta não é uma questão de guerra partidária, de estar mais bem-dispostos ou menos bem-dispostos, é uma questão de decência”, afirma.

O PSD instou António Costa na sexta-feira a desmentir a existência de um acordo por escrito entre o Governo e o presidente da Caixa, António Domingues. O ministro das Finanças, Mário Centeno, não confirmou, mas também não negou de forma categórica.

Durante o programa da SIC Notícias “Quadratura do Círculo”, o comentador António Lobo Xavier declarou que há de facto um compromisso por escrito entre o Governo e CGD que defende a não apresentação das declarações.

O Conselho de Administração da CGD reuniu-se na quinta-feira para tomar uma decisão em relação ao caso mas até agora nada foi divulgado publicamente. Em causa está o impasse gerado depois da recusa de nova equipa de administração da CGD em apresentar as declarações de rendimentos e de património ao Tribunal Constitucional.

Relacionadas

PSD pede intervenção do Presidente da República na polémica da CGD

Ricardo Mourinho Félix disse à TSF que “não assinei nenhum acordo, nenhum acordo aludia a esse tipo de condições. O único acordo que existe é o que foi assinado com a DG Comp”.

CGD: Mourinho Félix garante que não há documento a dispensar declaração de rendimentos

O governante garante à TSF que não existe um documento escrito que dispense a equipa de gestão de António Domingues de apresentar a declaração de rendimentos e património no Tribunal Constitucional.
Recomendadas

GamaLife compra unidade da Zurich em Itália

A GamaLife concluiu a aquisição de uma unidade de negócio da Zurich em Itália, incluindo uma carteira de apólices em vigor de seguro de vida e de pensões.

Moody’s diz que bancos mais globais vão ter lucros sólidos em 2023

“Os bancos globais estarão protegidos de um aumento da morosidade do crédito em 2023 através do aumento das taxas de juro e de balanços sólidos, e as perspectivas para o sector permanecem estáveis”, disse hoje a Moody’s.

Mais de 1.700 contactos de clientes bancários à rede de apoio RACE até setembro

A Rede de Apoio ao Cliente Bancário (RACE) recebeu, entre janeiro e setembro, 1.783 contactos de devedores com dificuldades em pagar créditos, registando desde julho um aumento dos processos PARI ou PERSI que acompanha, revelou a Direção-Geral do Consumidor.
Comentários