Chamar “careca” a um homem é assédio sexual, decide tribunal britânico

O uso deste termo pode estar “inerentemente ligado a sexo” e representar uma forma de discriminação, de acordo com o Tribunal do Trabalho.

Chamar “careca” a um colega de trabalho masculino não é uma brincadeira inofensiva, mas sim uma ação de assédio sexual. Foi esta a conclusão a que chegou um Tribunal do Trabalho britânico. De acordo com aquela instituição, o uso do termo “careca” pode estar “inerentemente ligado a sexo” e representar uma forma de discriminação, segundo cita a “Bloomberg”.

A decisão chegou no âmbito de um processo em que um eletricista processou o negócio de uma família de Yorkshire, onde trabalhou durante quase 24 anos. O homem, Tony Finn, diz ter sido despedido sem justa causa e ter sido vítima de assédio sexual.

De acordo com as alegações, um colega de trabalho chamava-lhe “careca gordo estúpido”. O Tribunal concluiu que Finn não se queixava da “linguagem industrial” do negócio, mas sim das alcunhas relacionadas com a sua idade e cabelo.

“É difícil concluir algo que não” essas frases terem sido ditas “com o objetivo de violar a dignidade do queixoso e criar um ambiente intimidatório, hóstil, degradante, humilhante ou ofensivo”, diz o tribunal, citado pela Bloomberg.

Recomendadas

Presidente do BAD quer duplicação do capital do Fundo Africano de Desenvolvimento

O Presidente do Banco Africano de Desenvolvimento celebrou os 50 anos do Fundo Africano de Desenvolvimento (FAD), que quer mais poderoso para fazer face aos desafios.

“Realidade devastadora”. Ator Matthew McConaughey condena tiroteio na sua terra natal no Texas

“Mais uma vez, provamos tragicamente que não estamos a ser responsáveis ​​pelos direitos que as nossas liberdades nos concedem”, escreveu McConaughey em comunicado partilhado nas redes sociais.

Parlamento polaco aprova extinção de órgão judicial criticado pela União

O parlamento polaco aprovou a extinção de um controverso órgão disciplinar do Supremo Tribunal da Polónia que o governo de direita tem usado como arma de punição.
Comentários