‘Champions’. Duelo ‘vermelho e branco’ nos quartos coloca frente a frente Benfica e Ajax

Benfica não vence o Ajax desde 1968/69, mas o histórico não servirá de desculpa para não equilibrar a partida frente aos neerlandeses. As ‘águias’ chegam à fase a eliminar da competição com esperanças renovadas.

Lusa

Benfica e Ajax, dois históricos do futebol europeu, voltam a medir forças na Liga dos Campeões. Na teoria, este deverá ser um duelo pautado pelo equilíbrio, com as ‘águias’ comprometidas a ter um desempenho melhor do que o conseguido pelos rivais da segunda circular em dois jogos frente ao campeão neerlandês. No último encontro entre as duas equipas, em 2019, o Ajax levou a melhor.

A última vez que os ‘encarnados’ venceram o emblema da capital dos Países Baixos foi na temporada 1968/69, num jogo a contar para a competição predecessora da Liga dos Campeões – a Taça dos Campeões Europeus, especificamente nos quartos de final, num encontro que opôs Johan Cruijff a Eusébio. As ‘águias’ venceram o jogo em Amesterdão, mas acabaram eliminadas em Lisboa.

Desde então, apesar do registo ser favorável ao Ajax, todos os duelos entre as duas equipas têm sido marcados pelo forte equilíbrio, ou não fosse os dois clubes o espelho de duas ligas formadoras entre a elite europeia.

O plantel do Benfica avaliado em 281 milhões de euros, é o mais valioso da liga portuguesa. Entre os jogadores dos jogadores dos ‘encarnados’, destacam-se Rafa Silva (24 milhões de euros) e Alejandro Grimaldo (22 milhões de euros). A equipa portuguesa vai tentar chegar à fase seguinte da prova milionária, onde já esteve por várias vezes, alicerçada nas ideias de jogo de Jorge Jesus, que tem motivado alguma contestação da massa adepta benfiquista.

Por sua vez, o Ajax tem um plantel avaliado em 339,3 milhões de euros, levando vantagem no campo teórico ao Benfica. Entre os jogadores mais valiosos, destacam-se Ryan Gravenberch (33 milhões de euros) e Sebastian Haller (27 milhões de euros). As boas exibições em Lisboa, frente ao Sporting, mereceram o respeito do futebol europeu, depois da equipa dos Países Baixos se tornar na primeira do seu país a vencer todos os encontros da fase de grupos da Liga dos Campeões, e de forma categórica, aplicando duas goleadas aos ‘leões’ e uma ao Borussia Dortmund.

As ‘águias’, com um encaixe de 54,2 milhões de euros, são o clube português que mais dinheiro amealhou com a prova milionária, com a maior parte do valor proveniente da qualificação para a ‘Champions’ (34,37 milhões de euros) três vitórias (8,4 milhões de euros) e dois empates (1,86 milhões de euros). O Benfica garantiu o acesso à fase a eliminar na jornada final contra o adversário teoricamente mais fraco do grupo, o Dínamo de Kiev, beneficiando da derrota do FC Barcelona na Alemanha frente ao FC Bayern, garantindo, assim, mais 9,6 milhões de euros.

Recomendadas

Mundial2022: Qatar condena campanha “infundada” em resposta a críticas do PE

O Qatar condenou a resolução adotada na semana passada pelo Parlamento Europeu (PE) criticando a sua escolha como sede do Mundial de futebol em curso e denunciou uma campanha “infundada” assente em “acusações falsas e informação enganosa”.

Portugal rumo aos oitavos com Bruno Fernandes em dose dupla

Dois golos na segunda parte bastaram para que a Seleção portuguesa se apurasse para a fase a eliminar deste Mundial.

“Hat Trick” no “Jogo Económico”.10 mil milhões de dólares: FIFA espera receitas nunca vistas para 2026

Veja a análise aos números da semana na rubrica do programa da plataforma multimédia JE TV.
Comentários