Charme. Quem quer reabilitar o Hotel Guadiana?

O município de Vila Real de Santo António lança, através da empresa municipal VRSA SGU, o procedimento público para a empreitada de reabilitação do emblemático Hotel Guadiana. A empreitada tem o valor base de dois milhões de euros e será financiada pela iniciativa Jessica, um instrumento de engenharia financeira desenvolvido pela Comissão Europeia em colaboração […]


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

O município de Vila Real de Santo António lança, através da empresa municipal VRSA SGU, o procedimento público para a empreitada de reabilitação do emblemático Hotel Guadiana.

A empreitada tem o valor base de dois milhões de euros e será financiada pela iniciativa Jessica, um instrumento de engenharia financeira desenvolvido pela Comissão Europeia em colaboração com o Banco Europeu de Investimento e com o Banco de Desenvolvimento do Conselho da Europa, prevendo-se a conclusão dos trabalhos em dezembro de 2016.

Esta requalificação prevê a manutenção da fachada e dos principais elementos decorativos do prédio de estilo afrancesado projetado pelo arquiteto Ernesto Korrodi, cuja construção data-se entre 1918 e 1921. Além da reativação do uso original do imóvel, a operação urbanística pretende a manutenção da sua volumetria original, possibilitando a instalação de 31 quartos, distribuídos por 15 quartos duplos, 3 suítes júnior e 13 quartos individuais com os padrões de conforto e exigência das marcas internacionais. A empreitada engloba ainda a recuperação de um edifício na Ponta da Areia, que servirá como área de apoio balnear.

Refere a autarquia que o projeto cumpre, na íntegra, as orientações do Plano de Pormenor de Salvaguarda do Núcleo Pombalino de Vila Real de Santo António, bem como as medidas estabelecidas na Área de Reabilitação Urbana (ARU) do Centro Histórico de VRSA, que foi, aliás, a primeira a ser lançada no país. Com esta medida, a autarquia dá seguimento à requalificação do edifício centenário – já classificado como imóvel de interesse municipal desde 2010 –, assegurando a sua reabertura e a respetiva transformação em hotel de charme.

Para Luís Gomes, presidente da Câmara Municipal de VRSA, “a operação faz parte da estratégia de recuperação do património edificado da cidade e da instalação, no seu Centro Histórico, de unidades hoteleiras de referência, potenciando um turismo de qualidade superior e cultural”.

Localizado na frente ribeirinha de Vila Real de Santo António, o Hotel Guadiana marcou o turismo algarvio no início do século XX, tendo sido desenhado pelo arquiteto de origem suíça Ernesto Korrodi. A sua existência deve-se ao industrial conserveiro Manuel Ramirez, que verificou a necessidade de acolher comerciantes nacionais e estrangeiros em VRSA. A sua construção é também testemunho de uma evolução histórica urbana e a sua arquitetura é caracterizada pela mistura de vários estilos ao gosto da época, manifestando uma transição entre a estética da Arte Nova e a Composição Clássica.

Em paralelo à recuperação do Hotel Guadiana, é intenção da Câmara Municipal de VRSA transformar o Centro Histórico numa referência em termos turísticos, estando por isso em marcha um ambicioso projeto que pretende converter os antigos imóveis, propriedade da Câmara Municipal de VRSA, num conjunto de unidades de alojamento de charme.

OJE

Recomendadas

PremiumNorfin estima investir 750 milhões de euros em projetos até 2027

Deste valor, 700 milhões serão direccionados para a promoção de construção nova, nomeadamente, 350 milhões para a área residencial, 200 milhões para o segmento de escritórios, 100 milhões de euros para o sector da hotelaria e 50 milhões de euros em retalho.

PremiumMaior negócio imobiliário do ano em Portugal atrai 20 propostas (com áudio)

As propostas não vinculativas para a compra dos ativos que a VIC Properties pôs à venda foram entregues na passada sexta-feira. Entre as mais de 20 propostas entregues está a da Vanguard Properties para a Herdade do Pinheirinho.

Prestação da casa sobe entre 108 e 251 euros em dezembro

A prestação da casa paga pelos clientes bancários no crédito à habitação vai subir acentuadamente este mês nos contratos indexados à Euribor a três, seis e 12 meses, face às últimas revisões, segundo a simulação da Deco/Dinheiro&Direitos.