Chega vota contra Orçamento do Estado na generalidade para 2022

O Chega sustenta que o documento “mantém a espinha dorsal do OE chumbado em Outubro do ano passado” e que por isso está desatualizado e não serve os interesses dos portugueses. Ademais, considera-o “usurpador” porque “continua a exploração de quem trabalha e investe para sustentar o polvo da máquina do Estado”. 

MIGUEL A. LOPES/LUSA

O Chega anuncia esta quinta-feira que vai votar contra o Orçamento do Estado para 2022 (OE2022) apresentado pelo Governo, que vai ser discutido a partir de hoje na generalidade no Parlamento, por considerar que “não reflete as preocupações e as necessidades que os portugueses precisam ver acauteladas ao longo deste ano”.

Em comunicado, o partido liderado por André Ventura sustenta que o documento ” mantém a espinha dorsal do OE chumbado em outubro do ano passado, quando não tínhamos nem guerra na Europa, nem o surto inflacionista a que estamos a assistir”.

“Este Orçamento peca ainda por voltar a alocar a maior parte dos recursos públicos ao Estado e às suas clientelas, deixando altamente prejudicadas as famílias e as empresas”, informa a nota. O Chega considera ainda que o documento é “usurpador” porque “continua a exploração de quem trabalha e investe para sustentar o polvo da máquina do Estado”.

Recomendadas

CEO da Microsoft destaca plataforma para ajudar a Ucrânia criada por português

Satya Nadella diz que o “Ukraine Live Aid”, para prestar apoio aos refugiados ucranianos, foi um dos trabalhos “significativos” e “muito necessários” que feitos com as Power Pages da Microsoft.

Covid-19. Atual vaga provoca 30 milhões de horas de trabalho perdidas

A atual vaga de infeções pelo SARS-CoV-2, que deve atingir o pico na primeira quinzena de junho, vai provocar cerca de 30 milhões de horas de trabalho perdidas, prevê um relatório do Instituto Superior Técnico sobre a pandemia.

Covid-19. Mortalidade vai aumentar e máscara recomendada quando exista risco de contágio

A mortalidade por Covid-19 deverá aumentar em Portugal nos próximos 30 dias, indica um relatório do Instituto Superior Técnico (IST) sobre a pandemia, que recomenda o uso de máscara sempre que exista risco de contágio.
Comentários