China conclui primeira linha ferroviária do mundo em torno de um deserto

A linha ferroviária circular, em torno do maior deserto da China, o Taklimakan, está distribuída por 2.712 quilómetros, uma vez que o trecho recém-inaugurado foi integrado noutros três já existentes, segundo a empresa estatal China Railway.

A China inaugurou hoje a primeira linha ferroviária do mundo que circunda por completo um deserto, com a abertura de um trecho de 825 quilómetros, entre as cidades de Hotan e Ruoqiang, na região de Xinjiang.

A linha ferroviária circular, em torno do maior deserto da China, o Taklimakan, está distribuída por 2.712 quilómetros, uma vez que o trecho recém-inaugurado foi integrado noutros três já existentes, segundo a empresa estatal China Railway.

O trecho que conecta a cidade de Hotan, no sudoeste de Xinjiang, e a vila de Ruoqiang, no sudeste, leva cerca de 11 horas a ser percorrido, com uma velocidade projetada de 120 quilómetros por hora, e paragem em 22 estações.

A construção da última secção começou em 2018 e usou 434 pilares pré — fabricados, para criar cinco pontes elevadas, que compõem 49,7 quilómetros da rota.

Os construtores criaram também 50 milhões de metros quadrados de plantação de relva e plantaram 13 milhões de plantas que crescem naquele tipo de solo, como o espinheiro – mar, para proteger a ferrovia, recorrendo a uma técnica muito utilizada na região, frequentemente afetada por tempestades de areia.

A China investiu nos últimos anos na construção de infraestrutura para desenvolver Xinjiang, uma das mais voláteis regiões da China e palco de conflitos étnicos no passado.

Pequim é acusada de abusos contra a minoria étnica chinesa de origem muçulmana uigur, maioritária naquela região do extremo noroeste do país.

Recomendadas

Conselho da UE anuncia apoio de 40 milhões de euros para o exército da Moldávia

Este apoio complementa a contribuição europeia de sete milhões de euros, feita em dezembro de 2021, destinada na altura a capacitar o Serviço Médico Militar do Batalhão de Engenharia das Forças Armadas moldavas. 

Ucrânia: Diplomacia russa protesta contra afirmações ‘grosseiras’ de Johnson

Em comunicado, o Ministério adiantou que Deborah Bronnert recebeu um protesto “firme” contra “as afirmações abertamente grosseiras a respeito da Federação Russa, do seu dirigente, dos seus responsáveis, bem como do povo russo”.

ONU classifica de “revés” decisão judicial que limita regulação ambiental nos EUA

A ONU considerou que retrocessos em países que produzem grandes quantidades de emissões prejudiciais ao ambiente, como os Estados Unidos, tornam “mais difícil alcançar os objetivos estabelecidos no Acordo de Paris para um planeta mais saudável e em que se possa viver”.
Comentários