China destaca necessidade de criar condições para resolver crise na Ucrânia

“A comunidade internacional deve criar condições para as conversas russo-ucranianas”, disse o ministro dos Negócios Estrangeiros da China.

China

O porta-voz do ministério dos Negócios Estrangeiros, Zhao Lijian, considerou, esta segunda-feira, que a comunidade internacional precisa de criar condições para resolver a complicada situação global causada pela crise ucraniana.

As declarações de Zhao Lijian foram feitas durante um briefing, citado pela “Tass”, onde comentou a ação da Bulgária, Macedónia do Norte e Montenegro de fechar o espaço aéreo para os aviões vindos da Rússia. De recordar que o alto diplomata Sergey Lavrov planeia visitar a Sérvia. A porta-voz do ministério dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Maria Zakharova, confirmou que os países vizinhos da Sérvia fecharam o espaço aéreo para o avião.

O ministro chinês diz acreditar que uma “há necessidade de facilitar todos os esforços destinados a resolver a situação de crise pacificamente”. “A comunidade internacional deve criar condições para conversas russo-ucranianas”, referiu Zhao Lijian.

Segundo o diplomata, a China apoia os esforços de Moscovo e Kiev para resolver as diferenças. “Pedimos a promoção de negociações de paz entre a Rússia e a Ucrânia”, destacou Zhao Lijian.

A China tem vindo a apelar ao fim da guerra. Na semana passada o governo chinês pediu ao ocidente que pare de alimentar o conflito na Ucrânia. “Quanto à situação na Ucrânia, a China insiste que os EUA e outros estados ocidentais parem de alimentar a guerra e também de aumentar as sanções unilaterais [contra a Rússia]”, disse o ministro dos Negócios Estrangeiros chinês, Zhao Lijian. “Pedimos um cessar-fogo e o fim das hostilidades”, ressalvou o diplomata.

Recomendadas

Israel abateu três drones do Hezbollah no Mediterrâneo

O exército israelita afirmou hoje que abateu três drones do grupo xiita libanês Hezbollah e que se dirigiam a um campo de gás no Mediterrâneo, numa área marítima disputada pelos dois países.

Manifestações pelo direito ao aborto reúnem milhares em França

Várias manifestações ocorreram hoje em França em defesa do direito ao aborto e para manifestar apoio às mulheres norte-americanas, depois da decisão, na semana passada, do Supremo Tribunal dos Estados Unidos, de revogar esse direito.

Marcelo parte para São Paulo ainda sem “comunicação por escrito” de Bolsonaro

O chefe de Estado português afirmou hoje, antes de partir do Rio de Janeiro para São Paulo, que continua sem receber nenhuma “comunicação por escrito” do Presidente do Brasil a cancelar o almoço de segunda-feira em Brasília.
Comentários