China e Estados Unidos negoceiam assinatura da primeira fase do acordo comercial

As autoridades norte-americanas dizem que Pequim concordou em aumentar as compras de produtos e serviços dos EUA em pelo menos 200 mil milhões de dólares nos próximos dois anos.

Guerra Comercial EUA-China

A China e os Estados Unidos da América (EUA) estão em negociações para a assinatura oficial da primeira fase do acordo comercial, escreve a agência noticiosa “Reuters” esta quinta-feira, 19 de dezembro, com base em informações recolhidas junto do Ministério do Comércio chinês.

O acordo da fase 1 foi anunciado na semana passada, após mais de dois anos de negociações comerciais intermitentes. No entanto, na sexta-feira, nenhuma das partes optou por divulgar muitos detalhes sobre o referido acordo.

“As equipas de comércio da China e dos EUA estão em estreita comunicação”, afirmou Gao Feng, porta-voz do Ministério do Comércio da China, à imprensa, acrescentando que não há informações específicas sobre o acordo a serem divulgadas neste momento. “Após a assinatura oficial do acordo, o conteúdo do acordo será tornado público”, referiu.

As autoridades norte-americanas dizem ainda que Pequim concordou em aumentar as compras de produtos e serviços dos EUA em pelo menos 200 mil milhões de dólares (cerca de 180 mil milhões de euros) nos próximos dois anos. Segundo Washington, isso incluirá compras adicionais de produtos agrícolas dos EUA no valor de 32 mil milhões de dólares (aproximadamente 29 mil milhões de euros) em dois anos.

Até agora, as autoridades chinesas não confirmaram publicamente grande parte da versão de Washington – especialmente sobre os compromissos de compra de mercadorias. No entanto, a China explicou, aquando do anúncio do acordo, que importará mais trigo, arroz, milho, energia, produtos farmacêuticos e serviços financeiros dos EUA. Já os EUA disseram que o acordo também inclui proteções de patentes, marcas comerciais, direitos de autor incluindo procedimentos criminais e civis para combater crimes online, etc.

Mas há mais boas notícias. Esta quinta-feira, a China divulgou uma nova lista de isenções de tarifas para importações dos EUA, principalmente produtos químicos. As isenções tarifárias entrarão em vigor no dia 26 de dezembro, terão a duração de um ano e serão aplicadas para seis items, a maioria deles produtos químicos, como óleo branco, polietileno de alta densidade, polietileno linear de baixa densidade, polipropileno e cera de petróleo de qualidade alimentar.

E segundo o vice-ministro do Comércio chinês, Wang Shouwen, os dois países chegaram ainda a um consenso sobre a proteção de segredos comerciais, salvaguardando os direitos de propriedade intelectual de produtos farmacêuticos no combate às falsificações e produtos pirateados nas plataformas de comércio eletrónico.

Recomendadas

Turismo. Hóspedes e dormidas em outubro superam em mais de 5% o registo pré-pandemia

O mercado interno contribuiu com 1,8 milhões de dormidas (-2,7% face ao mesmo mês do ano passado), ao passo que os mercados externos somaram 4,9 milhões (+37,3%).

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta quarta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta quarta-feira.

Vendas no comércio a retalho cresceram 0,5% em volume no mês de outubro

O agrupamento dos produtos alimentares registou uma queda homóloga de -3,2% no mês em análise (-0,2% em setembro). Por outro lado, nos produtos não alimentares observou-se um crescimento de 3,5% (4,3% em setembro).
Comentários