China estará a construir rede de campos de refugiados na fronteira com a Coreia do Norte

Trata-se de uma das medidas da China para responder ao êxodo humano que se desencadear à medida que aumenta o impasse entre a comunidade internacional e o regime norte-coreano.

A China estará a construir de forma secreta uma rede de campos de refugiados ao longo da fronteira com a Coreia do Norte. Preocupado com o crescente impasse em relação a Pyongyang, Xi Jinping terá tomado a medida para responder a essa instabilidade política.

A rede de campos de refugiados é uma das medidas da China para responder ao êxodo humano que se desencadear à medida que aumenta o impasse entre a comunidade internacional e o regime norte-coreano – mesmo depois das várias sanções impostas pela Organização das Nações Unidas (ONU).

O plano consta alegadamente de um documento interno do governo, que terá sido roubado a um gigante estatal das telecomunicações, encarregue de fornecer serviços de Internet aos campos. A rede localizar-se-á no limite entre os dois estados, que tem 1.416 quilómetros de comprimento, se situa a norte da península coreana e que tem início a oeste no mar Amarelo, seguindo o rio Yalu até à sua nascente, no monte Baekdu.

Segundo o Financial Times, que avançou a notícia, e o The Guardian, através do seu correspondente em Pequim, um porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros chinês negou-se a confirmar a existência dessa rede, mas não negou que estivesse de facto a ser construída.

“As tensões estão altas da península coreana. Está à beira da guerra. Como uma grande potência e um país vizinho, a China deve fazer planos para todas as eventualidades”, disse ao diário britânico Cheng Xiaohe, especialista em Coreia do Norte da Universidade Renmin, em Pequim.

Relacionadas

Nações Unidas divulgam vídeo que mostra fuga de soldado da Coreia do Norte

As imagens foram capturadas pelas câmaras de segurança da parte sul da fronteira e mostram como o soldado chega num todo-terreno até escassos metros da linha de demarcação que divide a península e corre depois para essa direção sob os disparos de quatro colegas militares, a muito curta distância.

Embaixador da China na ONU apela ao diálogo com a Coreia do Norte

Na quarta-feira, a Coreia do Norte testou um míssil balístico intercontinental capaz de atingir todo o território dos Estados Unidos.

Governo chinês envia alto quadro a Pyongyang após visita de Trump

Song Tao, chefe do Departamento de Colaboração Internacional do Partido Comunista Chinês, vai vajar para a capital norte-coreana na sexta-feira, informou a agência noticiosa oficial Xinhua.
Recomendadas

Ameaça nuclear de Putin “deve ser levada a sério”, alerta analista

“Estamos a abordar uma situação considerada impensável. Uma nova realidade”, vincou Eugene Rumer, ex-oficial dos serviços de informações para a Rússia e Eurásia no Conselho de Inteligência Nacional dos Estados Unidos e diretor do programa Rússia e Eurásia do Carnegie Endowment Endowment for International Peace.

Eleições em São Tomé. Patrice Trovoada exorta primeiro-ministro a reconhecer a derrota

O presidente da Ação Democrática Independente (ADI), partido mais votado nas legislativas de São Tomé e Príncipe, exortou hoje o primeiro-ministro, Jorge Bom Jesus, a reconhecer a derrota do MLSTP/PSD “o mais rapidamente possível” para apaziguar o clima social.

CPLP e comunidade da África Central negoceiam cooperação política e de formação em português

A Comunidade Económica dos Estados da África Central e a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) discutiram hoje formas de cooperação no domínio político, desenvolvimento da língua portuguesa e comissões de observação eleitoral, referiram responsáveis das organizações.
Comentários