Novo Banco: China Minsheng tenta acordo com Haitong

O Jornal Económico sabe que têm decorrido negociações para que o Haitong volte ao processo de financiamento e os responsáveis do China Minsheng estiveram em Portugal esta semana, com esse objetivo.

Cristina Bernardo

O China Minsheng Financial estará prestes a chegar a acordo com o Haitong Bank para que este volte a participar na operação de financiamento, continuando a ser, assim, o candidato mais bem posicionado para comprar o Novo Banco, segundo informações obtidas pelo Jornal Económico.
Tal como o JornalEconómico noticiou na edição passada, o banco que foi intermediário da operação tinha deixado de ser financiador por falta de garantias prestadas pela sociedade de Hong Kong.
A proposta de compra do China Minsheng ao Novo Banco, foi angariada e intermediada pelo Haitong Bank, então liderado por José Maria Ricciardi, mas chegada a hora de fazer prova de fundos o Haitong Bank retirou-se do processo.
Os chineses assinaram um memorando de entendimento que prevê um aumento de capital primeiro de 600 milhões de euros e, depois, de 150 milhões. Com a possibilidade de investir mais 150 milhões de euros, mais tarde. Estes números saíram na imprensa e não foi possível confirmar.
O Jornal Económico sabe que têm decorrido negociações para que o Haitong volte ao processo de financiamento e os responsáveis do China Minsheng estiveram em Portugal esta semana, com esse objetivo.
O que se passou e que tem de ser ultrapassado com uma operação de financiamento de bancos com sede na Europa, como é o caso o Haitong Bank, é que neste momento o China Minsheng tem dificuldade em retirar fundos da China, devido ao controlo sobre a saída de moeda estrangeira.
A moeda chinesa yuan atingiu o valor mais baixo dos últimos oito anos e as reservas diminuiram drasticamente por causa dos esforços das autoridades monetárias para suportar a moeda.
As últimas notícias não são animadoras e prevê-se que o yuan desvalorize entre 3% e 5%, face ao dólar.
O ritmo de crescimento da economia chinesa deverá abrandar para 6,5%, em 2017, e o principal instituto de pesquisa chinês prevê que a moeda chinesa continue a desvalorizar-se face ao dólar norte-americano.
O dossier Novo Banco será fechado, provavelmente, nos primeiros dias de janeiro.
A China Minsheng Financial é divisão de investimentos do maior gestora privada de fundos de private equity da China, a China Minsheng Investment Group.
Na corrida continuam o Lone Star e o Apollo em consórcio com o Centerbridge. Os bancos portugueses continuam no processo, mas como suporte a uma solução nacional, em que comprariam os activos.
Segundo a imprensa, a oferta do Lone Star é de 750 milhões de euros e contempla a possibilidade de injetar outros 750 milhões de euros no Novo Banco. Paralelamente é pedida uma garantia estatal de oito mil milhões de euros, mas é concedida uma contrapartida ao Estado.

Recomendadas

A parceria que privilegia a economia social e as suas organizações ganha mais três anos

Daniel Traça, Dean da Nova SBE, e José Pena do Amaral, Consultor da Comissão Executiva e Membro da Comissão de Responsabilidade Social do BPI, explicam ao JE a originalidade da parceria Iniciativa para a Equidade Social, o que envolve e o que pretende alcançar. A parceria junta a Fundação “la Caixa”, o BPI e a Nova SBE.

Fundação ”la Caixa”, BPI e NOVA SBE renovam parceria de 2,2 milhões

Iniciativa para a Equidade Social vai prolongar-se por mais três anos, até 2024, segundo acordo assinado esta tarde na Nova SBE, em Carcavelos. A parceria tem como objetivo impulsionar o sector da economia social em Portugal, através de projetos de investigação e capacitação desenvolvidos por equipas académicas especializadas.

Bancários reformados avançam com “manif” para 6 de outubro e pedem fiscalização da constitucionalidade a Marcelo

Os sindicatos da banca filiados na UGT entregaram hoje ao Presidente da República o pedido de fiscalização sucessiva previsto na Constituição relativamente ao pacote legislativo de mitigação da inflação, atendendo à sua previsível inconstitucionalidade por não incluir a totalidade dos bancários reformados.
Comentários