China: Nova lei para taxar poluição não inclui emissão de CO2

A China aprovou uma lei para taxar a poluição que ignora o dióxido de carbono, um dos maiores contribuidores para o aquecimento global.

A Assembleia Nacional Popular aprovou a lei, a primeira que inclui impostos ambientais, no domingo, poucos dias após mais de 20 cidades do norte da China terem decretado um alerta máximo por poluição.

Segundo a normativa, que entra em vigor em 1 de janeiro de 2018, as empresas serão taxadas por produzirem poluição atmosférica, sonora e da água, refere o documento.

Mas o dióxido de carbono não faz parte da lista, que inclui poluentes como o dióxido de enxofre e sulfito, taxados por valores entre 1,2 yuan (0,16 cêntimos de euro) e 1,4 yuan (0,19 cêntimos) por unidade, respetivamente.

A lei prevê ainda um imposto mensal entre 350 e 11.200 yuan (48 e 1.543 euros) por poluição sonora.

Segunda maior economia mundial e país mais populoso do planeta, a China é também o maior emissor de gases com efeito de estufa.

Recomendadas

Marcelo lembra que há vários focos de guerra e critica UE por ter estado em “autocontemplação”

O Presidente da República considerou hoje que a União Europeia esteve em “autocontemplação” e “continua a não saber encontrar maneira de se relacionar com África”, relembrando que, além da Ucrânia, há outros focos no mundo que ameaçam a paz.

Brittney Griner libertada pela Rússia em troca de prisioneiros com os EUA

A basquetebolista norte-americana estava presa desde agosto. Os norte-americanos soltaram o negociante de armas Viktor Bout, mais conhecido como “comerciante da morte”, que esteve preso nos EUA durante 12 anos.

Bruxelas quer que plataformas passem a cobrar IVA para evitar concorrência desleal

De acordo com as atuais regras de IVA, são os próprios prestadores de serviço – sejam motoristas ou donos de alojamento local – que são obrigados a coletar o IVA e a remiti-lo para as autoridades tributárias do seu país.
Comentários