Chris Christie recusa ser chefe de gabinete de Donald Trump

O antigo governador republicano do Estado de Nova Jérsia excluiu-se da lista de possíveis futuros chefes de gabinete do presidente.

Jim Lo Scalzo/REUTERS

O antigo governador republicano do Estado de Nova Jérsia, Chris Christie, excluiu-se hoje da lista de possíveis futuros chefes de gabinete de Donald Trump, um cargo similar ao de primeiro-ministro, depois da saída do general reformado John Kelly.

Em comunicado, Christie declarou que era “uma honra” ter sido considerado para a função, depois de uma reunião com o presidente norte-americano.

Christie revelou que disse a Trump que “este não é o momento indicado para ele ou a sua família assumirem esta importante função”, acrescentando que solicitou ao multimilionário que “deixasse de o considerar para este cargo”.

O ex-governador de Nova Jérsia era considerado uma das primeiras opções de Trump para o cargo e os dois reuniram-se na quinta-feira para discutir o assunto.

Esta é a segunda recusa para o lugar, depois da feita por Nick Ayers, que é o chefe de gabinete do vice-presidente, Mike Pence.

Depois de ter sido a escolha inicial de Trump, Ayers decidiu à última hora recusar a proposta.

A Casa Branca de Trump tem-se confrontado com uma elevada rotação de pessoal e dificuldades em atrair dirigentes de topo.

 

Recomendadas

Ucrânia: Biden diz que aliados da NATO não serão “intimidados” por Putin

O Presidente norte-americano, Joe Biden, afirmou hoje que os Estados Unidos e seus aliados não se deixarão “intimidar” pelo seu homólogo russo Vladimir Putin, e prometeu que a NATO defenderá “cada centímetro” do seu território.

“Café com o CEO”. Assista à conversa com o Dr. Luís Teles, em direto a partir de Luanda

“Café com o CEO” é uma iniciativa promovida pela empresa angolana E.J.M, fundada por Edivaldo Machado em 2012, que procura dar a conhecer os líderes que estão a dar cartas em Angola e outros países da Lusofonia. Assista à sessão em direto de Luanda, capital angolana.

Grupo de direitos das mulheres apela à FIFA que exclua Irão do Campeonato do Mundo

“Por que a FIFA daria ao Estado iraniano e aos seus representantes um palco global, enquanto não apenas se recusa a respeitar os direitos humanos e dignidades básicos, mas atualmente está a torturar e matar o seu próprio povo?”, questionam na carta enviada ao representante do organismo.
Comentários