Chronopost reclama liderança em Portugal

Após a recente compra da Lordtrans, o grupo deverá atingir os 17 milhões de encomendas em 2016. Olivier Establet, CEO da Chronopost Portugal, antevê “novos negócios” no País.

A Chronopost reclama a liderança do segmento de mercado do correio expresso em Portugal, com um total de 17 milhões de encomendas entregues por ano em Portugal, já em 2016.
Esse estatuto foi conseguido depois da aquisição recente da Lordtrans, o franchisado da Seur para a região Norte de Portugal, que se seguiu à compra, em finais de 2014, da Lisespo, o franchisado da Seur para a região Sul do país.

Mas a Chronopost não quer ficar por aqui. Em entrevista exclusiva ao Jornal Económico, Olivier Establet, presidente da Chronopost Portugal, revela que “existe a possibilidade de ganhar novos negócios”, resultado de “uma aposta, não só num posicionamento estratégico mais completo, mas também numa aceleração do crescimento da nossa atividade em Portugal”.

“Mantemo-nos muito atentos ao mercado, depois desta fase de recessão. Estamos também numa fase acelerada de crescimento económico, que se reflete no nosso crescimento orgânico, com os segmentos B2C e Classic a crescer a dois dígitos ao ano nos últimos dois anos, em que fizemos duas aquisições em Portugal”, adianta Olivier Establet. O presidente da Chronospot Portugal acrescenta que a terceira via de crescimento do grupo passa pela diversificação para novas áreas de negócio, com as empresas e marcas do grupo a entrarem em serviços fora do core business, “em segmentos complementares em que a Chronopost vai investir e que pode ser através da aquisição de empresas já existentes”.

A recente aquisição da Lordtrans, cujos valores não foram revelados por questões de confidencialidade, permitiu à Chronopost chegar a uma faturação de cerca de 65 milhões de euros este ano em Portugal: cerca de 36 milhões de euros da própria Chronopost, mais cerca de 28 milhões de euros da antiga franchisada da Seur. A gestão das duas marcas manter-se-á inalterada, mas Olivier Establet assegura que será dado particular enfoque à complementaridade das respetivas ofertas, visando o fortalecimento do grupo no mercado português. A Chronopost, tal como as aquisições aos antigos franchisados da Seur, consolidam na holding Geopost, pertencente ao Grupo La Poste, que atua transversalmente com a marca DPD e gera uma faturação anual de cerca de 24 mil milhões de euros nos vários mercados em que opera.

Sobre o balanço da atividade da Chronopost Portugal em 2016, Olivier Establet diz que “o ano foi muito bom: tivemos um crescimento muito significativo”. “Os primeiros dados previsionais que tenho sobre o fecho do ano, apontam para um crescimento de 9% nas receitas e de 14% na atividade, medida em número de encomendas. Isto quer dizer que ficámos 6 a 7 pontos percentuais acima da taxa de crescimento do mercado, o que não é inédito. Tem sido a norma nos últimos anos. A segunda parte do ano não alterou muito a tendência”, admite o presidente da Chronopost Portugal.

Em termos de previsões para o próximo ano, “estamos a apontar para um crescimento de 10% em atividade e de 7% no volume de negócios, ou seja, será um crescimento ligeiramente inferior ao deste ano”.

Para Olivier Establet, os motores de crescimento do negócio em 2016 e 2017 foram e serão o comércio eletrónico (B2C, Business to Consumer) e as entregas internacionais rodoviárias. OB2C é o primeiro setor da Chronopost em volume de negócios, tendo sido responsável por 33% do crescimento das receitas e da atividade. O segundo motor é bastante procurado por empresas do Norte do País, dos setores tradicionais da moda, do calçado e do têxtil. “Enquanto produtores e exportadores, têm este serviço muito em conta. Neste serviço, o cliente perde mais um dia, mas tem um serviço com o preço muito em conta, porque chega a ser metade do correio expresso”, explica Olivier Establet.

“Há sempre clientes que hão de querer o correio aéreo, mas há cada vez mais uma tendência das empresas para fazerem um balanço entre o meio aéreo e o transporte rodoviário para a Europa, que é o nosso serviço Classic, o qual representou mais de 20% do volume de negócios da Chronopost em 2016”, revela o presidente da empresa. Uma realidade que se deverá consolidar em 2017.

Recomendadas

Musk avança para a compra do Twitter e ações disparam 22%

O CEO da Tesla, Elon Musk, voltou atrás na negociação e concordou em comprar o Twitter pelo preço original acordado de 44 mil milhões de dólares. As negociações da tecnológica na bolsa norte-americana foram interrompidas aquando do anúncio e retomaram a valorizar 22%.

Amazon congela contratações para a área de retalho

A gigante do comércio eletrónica pausou todas as contratações de executivos para a sua unidade de retalho e interrompeu os processos de recrutamento em curso. Também Google, Apple e Meta já tomaram medidas semelhantes.

Celsius. Depois da insolvência, CEO e co-fundador de saída

O co-fundador e Chief Strategy Officer da Celsius, uma plataforma de criptomoedas, S. Daniel Leon, está de saída. A decisão foi conhecida uma semana depois da demissão do CEO, Alex Mashinky, e poucos meses depois do aberto o processo de insolvência.
Comentários