Cientistas identificam versão da variante Omicron não detetada em testes PCR

Com a descoberta os cientistas passaram a dividir a linhagem B.1.1.529 da Ómicron padrão, conhecida como BA.1, e a variante mais recente, em BA.2.

Cientistas identificaram uma versão “furtiva” da variante Ómicron que não pode ser detetada com os testes PCR, segundo o “The Guardian”.

A variante tem muitas mutações em comum com a Ómicron padrão, mas tem uma mudança genética particular. Os cientistas dizem que é muito cedo para saber se a nova versão da Ómicron vai espalhar-se da mesma maneira do que a variante padrão.

As conclusões foram retiradas a partir dos genomas do vírus Covid enviados nos últimos dias da África do Sul, Austrália e Canadá, mas a dificuldade em detetar a variante significa que pode ter-se espalhado mais amplamente.

Assim, a descoberta da nova forma de Ómicron levou os cientistas a dividir a linhagem B.1.1.529 em Ómicron padrão, conhecida como BA.1, e a variante mais recente, conhecida como BA.2.

Os avanços na análise da versão da Ómicron decorrem no mesmo dia em que o primeiro-ministro britânico disse que a Ómicron parecia mais transmissível e as autoridades admitiram que provavelmente iriam ser necessárias novas restrições.

O porta-voz de Johnson disse, também esta terça-feira, que o próximo passo de contingência continua a ser a imposição potencial do chamado plano B, que introduziria a certificação da vacina e recomendação para trabalhar a partir de casa sempre que possível.

Embora o governo “queira ter certeza de que o parlamento tem uma palavra a dizer” sobre quaisquer novas regras, afirmou o porta-voz, os ministros têm poder para impor restrições ao plano B. Atualmente o Reino Unido conta com 437 casos da Ómicron.

Relacionadas

Variante Ómicron aumentou 3.000% numa semana no Reino Unido

O número de pessoas no Reino Unido infetadas com a variante Ómicron do novo coronavírus aumentou 3.000% numa semana, de 11 para 336, tendo o ministro da Saúde britânico reconhecido esta segunda-feira haver casos sem origem em viagens do estrangeiro.

Ómicron poderá ser dominante no Reino Unido dentro de semanas

Segundo o especialista em doenças infeciosas Paul Hunter, no Reino Unido, existem quatro vezes mais casos da Ómicron do que o oficialmente confirmado.

Análise sobre mutações da Ómicron podem fornecer pistas sobre a sua origem

Os cientistas do Instituto de Doenças Infeciosas e Medicina Molecular da Universidade da Cidade do Cabo têm três hipóteses sobre como a Ómicron surgiu, uma delas é a possibilidade de ter surgido num animal.
Recomendadas

Covid-19: Pandemia provocou mais 300 mil mortes na UE do que as oficiais, diz OCDE

“No final de outubro de 2022, mais de 1,1 milhões de mortes de covid-19 foram reportadas em todos os 27 países da UE, mas os dados sobre o excesso de mortalidade sugerem que se trata de uma subestimativa e que mais 300 mil pessoas morreram devido ao efeito direto ou indireto da pandemia”, refere o relatório da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) e da Comissão Europeia (CE).

Covid-19: Problemas de saúde mental aumentaram na Europa, sobretudo nos jovens

A Organização para Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) explica no relatório comparativo da situação de saúde na Europa que, enquanto em 2019 a percentagem de jovens entre 15 e 24 anos com sintomas de depressão era de 6%, contra 7% nos adultos, com o coronavírus os números aumentaram em todos os países para os quais existem dados.

Covid-19: Várias cidades da China relaxam medidas de prevenção epidémica

Várias cidades chinesas estão a abolir algumas medidas de prevenção contra a Covid-19, sinalizando o fim gradual da estratégia ‘zero casos’, que manteve o país isolado durante quase três anos e afetou a economia.
Comentários