Cimeira Ibérica: 112 Transfronteiriço previsto em toda a fronteira Portugal-Espanha em 2023

O 112 Transfronteiriço deverá estar a funcionar em toda a fronteira entre Portugal e Espanha em 2023, adiantou hoje a ministra da Coesão Territorial.

Spain’s Prime Minister Pedro Sanchez (C-L) and Portugal’s Prime Minister Antonio Costa (C-R) pose accompanied by Government members for the family picture during the ceremony of signing a Memorandum of Understanding for the creation of an Iberian FoodTec Lab during the XXXIII Portuguese-Spanish Summit at the International Iberian Nanotechnology Center (INL) in Braga, Portugal, 04 November 2022. EPA/HUGO DELGADO

Falando em Braga, durante a ‘primeira etapa’ da 33.ª cimeira ibérica, Ana Abrunhosa disse que o objetivo é garantir uma resposta de urgência em saúde para portugueses e espanhóis em qualquer lado da fronteira, melhorando o serviço e racionalizando os meios.

“A ideia é que durante o ano de 2023 possamos fazer esse protocolo e na próxima cimeira possamos anunciar que já temos o 112 Transfronteiriço em toda a fronteira entre Portugal e Espanha”, referiu a ministra.

Hoje, será assinado durante a cimeira, em Viana do Castelo, um protocolo para formalizar a rede do 112 Transfronteiriço, após vários anos de experiências de cooperação entre o Norte de Portugal e a Galiza ao nível da proteção civil.

O protocolo é, de acordo com Ana Abrunhosa, “um projeto-piloto para assistência médica de urgência entre a Galiza e a região Norte de Portugal, que entrará logo em funcionamento após a assinatura”, operacionalizado Instituto Nacional de Emergência Médica de Portugal (INEM) e pela entidade de saúde da Galiza.

Segundo a ministra, o 112 Transfronteiriço vai garantir “assistência médica rápida e adequada em situações de urgência e de emergência, pelos meios que estão mais próximos, independentemente de serem portugueses e espanhóis”.

Além disso, acrescentou, “inclui assistência extra hospitalar, ou seja, depois de receber tratamento de urgência”, a mesma pessoa “poderá escolher onde deseja continuar a fazer o tratamento”, na sua zona de residência ou no local para onde foi transferido nessa primeira resposta, mesmo que seja do outro lado da fronteira.

O objetivo é replicar este protocolo e o projeto em todas as outras regiões de Portugal e de Espanha, país onde as competências de saúde são das regiões autónomas.

“Em Portugal, o serviço é centralizado no INEM, em Espanha terá de se fazer protocolos região a região”, disse ainda Ana Abrunhosa.

Os governos de Portugal e Espanha reúnem-se hoje na 33.ª cimeira ibérica, que tem como tema a inovação e vai juntar, além dos dois líderes de Governo, António Costa e Pedro Sánchez, 18 ministros dos dois executivos.

 

Encontro arranca com honras militares e passeio por Viana do Castelo

A 33.ª cimeira ibérica arrancou hoje com honras militares e a receção das comitivas dos governos de Portugal e Espanha na Praça da República de Viana do Castelo.

O primeiro-ministro português, António Costa, ao lado do presidente da câmara de Viana d Castelo, o também socialista Luís Nobre, recebeu o homólogo espanhol, Pedro Sánchez, por volta das 11:00.

As duas comitivas, que integram 18 ministros dos dois governos, ouviram depois dos hinos de Espanha e Portugal, a que se seguiu uma cerimónia militar e a apresentação dos membros dos executivos que participam na cimeira de hoje.

Estão em Viana do Castelo nove ministros de cada governo, com as pastas da energia, ambiente, transportes, obras púbicas, igualdade, administração interna, negócios estrangeiros e coesão territorial.

Dezenas de pessoas assistiram em silêncio à cerimónia formal de arranque da cimeira, após a qual os dois primeiros-ministros iniciaram um passeio pelo centro histórico de Viana de Castelo.

No início deste passeio – que durou cerca de 50 minutos, ultrapassando os 10 minutos inicialmente previstos no programa – Costa e Sánchez visitaram o museu do Traje, na praça da República.

À porta, vários populares esperavam pelos dois primeiros-ministros, com alguns a comentarem que, se fosse o Presidente da República a visitar a cidade, “haveria o dobro das pessoas”.

À saída do museu, na rua de Manuel Espregueira, Costa e Sánchez acenaram e cumprimentaram populares, antes de entrarem na pastelaria Natário, conhecida pelas suas bolas de Berlim.

“É uma honra ter aqui o primeiro-ministro [português], e o espanhol também, claro”, comentou um senhor.

Enquanto os dois primeiros-ministros se encontravam na pastelaria, alguns militantes do Fórum Cívico Ibérico desenrolaram um cartaz em que se lia “Por uma aliança ibérica”, sendo rapidamente desmobilizados pela polícia, que os encaminhou para uma zona que não se encontrava no trajeto de Sánchez e de Costa.

Acompanhados pelo presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo, Luís Nobre, os dois chefes de executivo desceram depois a avenida dos Combatentes da Grande Guerra até à praça da Liberdade, onde descerraram uma placa alusiva à 33.ª cimeira luso-espanhola.

Sempre rodeados por um forte dispositivo de segurança, Costa e Sánchez tiraram várias fotografias e ‘selfies’ na praça, antes de entrarem no carro que os levou até ao Hotel Santa Luzia, onde decorre a 33.ª cimeira luso-espanhola.

À chegada à pousada, Costa foi questionado se as bolas de Berlim da pastelaria Natário são boas, tendo respondido: “Ainda se faz essa pergunta?”.

Portugal e Espanha reúnem-se hoje numa cimeira ibérica para a aprofundar “excelentes” e “intensas” relações bilaterais, avançar na estratégia transfronteiriça e reforçar publicamente a sintonia no quadro europeu, como acontece com a energia, segundo os dois governos

A 33.ª cimeira luso-espanhola, em Viana do Castelo, tem como tema a inovação, e antes da abertura formal da cimeira os dois primeiros-ministros, António Costa e Pedro Sánchez, visitaram o Laboratório Ibérico de Nanotecnologia de Braga, onde assistiram à assinatura de um acordo entre universidades portuguesas e espanholas para a criação de um laboratório ibérico na área da segurança alimentar.

Depois da cerimónia oficial de abertura na praça da República de Viana do Castelo e de um passeio dos dois primeiros-ministros pelo centro histórico de Viana do Castelo, a cimeira segue com reuniões de trabalho e uma sessão plenária.

No final, serão assinados vários acordos, na área da ciência, das ligações rodoviárias e da cooperação transfronteiriça nas áreas do turismo, da emergência médica e da cultura, entre outras.

A cimeira termina com uma conferência de imprensa conjunta de António e Costa e Pedro Sánchez.

 

Notícia atualizada às 13h00

Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta quarta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta quarta-feira.

Aprovada resolução para a nomeação de ex-adjunto de João Galamba para a ERSE

A decisão foi tomada pelo Conselho de Ministros. Foi também aprovado um plano que visa combater a exclusão social entre as crianças.

PS ‘chumba’ audições de Mariana Vieira da Silva e Pedro Nuno Santos

Os deputados do PS ‘chumbaram’ os requerimentos para audição, na Assembleia da República, da ministra da Presidência, sobre a eficácia das medidas de combate à pandemia, e do ministro das Infraestruturas, sobre a multa aplicada pelos EUA à TAP.
Comentários