Cimpor vende pedreiras em São Paulo

Valor da operação é de 100 milhões de reais, ou seja, cerca de 23 milhões de euros


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

A Cimpor anunciou a conclusão da venda das Pedreiras de Guarulhos e Barueri, situadas no Estado de São Paulo, Brasil, à Polimix Concreto, pelo valor de 100 milhões de reais (cerca de 23 milhões de euros).

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a Cimpor – Cimentos de Portugal informa sobre a “alienação hoje concluída das Pedreiras de Guarulhos e Barueri (incluindo os imóveis, ativos e direito de exploração das minas) situadas no Estado de São Paulo (Brasil), à Polimix Concreto”.

O valor da operação é de 100 milhões de reais, ou seja, cerca de 23 milhões de euros à taxa de câmbio atual.

“A alienação destas pedreiras, na sequência da alienação da participação minoritária no Paraguai anunciada no passado dia 22 de dezembro, junta-se a outras iniciativas que a companhia vem tomando, visando o fortalecimento da estrutura de capital e aumento de rentabilidade, por forma a concentrar-se no seu desenvolvimento estratégico”, refere a cimenteira, no comunicado.

“Entre as iniciativas acima são de destacar, a paralisação de fábricas subutilizadas, a alienação de centrais de betão no Brasil, a venda de ativos não estratégicos, a adaptação a novos contextos de mercado, a adequação de ‘pricing’ e produtos, a redução de custos e despesas, e o ajuste da estrutura corporativa”, conclui.

OJE

Recomendadas

Spotify lança podcasts em vídeo a nível global

The Big Ones destaca semanalmente as inovações e movimentos estratégicos das empresas que lideram a nova economia.

“2023 será um ano de crescimento nos mercados externos”

O Grupo VAA tem como objetivo globalizar as suas duas marcas principais, Vista Alegre e Bordallo Pinheiro, e identificou sete mercados estratégicos onde está a apostar, explica Nuno Barra.

“Empresas arriscam sozinhas a entrada em mercados pela fraca dinamização e falta de apoio”

Mais de mil empresas participaram no Portugal Exportador no dia 23, orientado para a estratégia de internacionalização.