Cinco longa-metragens de cineastas portuguesas em destaque

A Academia Portuguesa de Cinema e a Netflix divulgam as cinco longas-metragens e 11 mulheres cineastas selecionadas no âmbito da Convocatória lançada no passado mês de julho, dirigida a realizadoras, produtoras e guionistas que tenham estado diretamente envolvidas em longas-metragens portuguesas de ficção e/ou documentário.

A Academia Portuguesa de Cinema e a Netflix divulgam as cinco longas-metragens e 11 mulheres cineastas selecionadas no âmbito da Convocatória lançada no passado mês de julho, dirigida a realizadoras, produtoras e guionistas que tenham estado diretamente envolvidas em longas-metragens portuguesas de ficção e/ou documentário.

São eles:

·       “A Metamorfose dos Pássaros”, com Catarina Vasconcelos na realização e Joana Gusmão na produção;

·       “Soa”, com Raquel Castro na realização e argumento e Isabel Machado, Joana Ferreira e Sara Serra Simões na produção;

·       “Mar”, com Margarida Gil na realização e argumento e Rita Benis como coargumentista;

·       “Simon Chama”, com Marta Sousa Ribeiro na realização e Joana Peralta na produção;

·       “Desterro”, com realização de Maria Clara Escobar.

Com um total de 31 candidaturas apresentadas, referentes a longas-metragens finalizadas entre 2019 e 2020, ambas as entidades concluem que as expetativas foram superadas e que este é apenas um primeiro passo no caminho de uma maior representatividade e igualdade de oportunidades de mulheres no sector do cinema e audiovisual. A estreia das cinco longas-metragens na Netflix está prevista para 2022, em data a anunciar.

O comité de seleção desta iniciativa foi constituído por Carla Chambel, atriz, formadora e vice-presidente da Academia; Fátima Ribeiro, guionista, professora e realizadora; Isadora Laban, Gestora de Conteúdos da Netflix Portugal e Espanha e Tota Alves, guionista e realizadora.

O regulamento e as condições da candidatura aberta estão disponíveis no website da Academia Portuguesa de Cinema Aqui

Conheça os filmes em causa na Galeria.

Recomendadas

“Trair e Coçar é só começar” vai ter dois ensaios solidários

O público português tem a oportunidade de assistir aos últimos ensaios antes da grande estreia e apoiar, assim, duas associações de solidariedade.

PremiumPara saudar o regresso de um majestoso Jaen

Serve este texto para saudar a aposta de um produtor do Dão, a Caminhos Cruzados, integrada há cerca de dois anos no grupo da Quinta da Pacheca (no Douro), na comercialização de um monovarietal de uma das castas mais singulares que se produzem em Portugal: a Jaen (Mencia, em Espanha). Há quem diga que em relação à Jaen, ou se ama ou se detesta.

PremiumFada ou bruxa? Uma duquesa que incomoda muita gente

Sociopata narcisista”. Uma classificação nada abonatória, mas é assim que é descrita Meghan Markle por ex-funcionários do Palácio de Buckingham que trabalharam para os duques de Sussex, segundo o que é revelado no novo livro de Valentine Low, que escreve sobre assuntos reais para o “The Times”.
Comentários