Circulação do Jornal Económico dispara 39% desde janeiro

A edição semanal do JE lidera as subidas de circulação entre as publicações de âmbito nacional, entre janeiro e agosto deste ano. Obrigado pela sua preferência!

O Jornal Económico é a publicação de âmbito nacional que regista a maior subida nas vendas, desde o início de 2018. Segundo os dados da Associação Portuguesa de Controlo de Circulação e Tiragem (APCT), divulgados esta semana, a circulação da edição semanal do Jornal Económico teve um crescimento de 39% entre janeiro e agosto, para uma média de 6.018 exemplares por edição, nos formatos em papel e digital.

Este valor, relativo ao quarto bimestre de 2018, representa cerca do triplo do registado aquando do lançamento do JE, há dois anos. E compara com uma descida de 4,5%, entre janeiro e agosto, do diário “Jornal de Negócios”, líder de circulação no segmento dos económicos, que fechou o quarto bimestre do ano com uma média de 9.851 exemplares por edição.

O crescimento sustentado da circulação do Jornal Económico reflete-se também em termos homólogos, com um crescimento de 32% face ao valor registado em agosto de 2017. No mesmo período, o “Negócios” caiu 9%.

Nos outros títulos da imprensa económica, a tendência é também de descida, tanto em relação a janeiro de 2018 como a agosto de 2017. A revista mensal “Exame” caiu 37% entre janeiro e agosto, para 9303 exemplares, com uma queda homóloga de 33%. Por sua vez, o semanário “Vida Económica” fechou o mês de agosto com 4.345 exemplares, menos 26% que em janeiro e 1% abaixo do valor registado em 2017.

Nas restantes publicações de âmbito nacional, o destaque vai para a revista “Sábado”, que viu a circulação crescer 22% entre janeiro e agosto, para 46.976 exemplares. Seguem-se os desportivos “Record” e “Jogo”, com subidas de, respetivamente 19% e 14,8%, para 40.749 e 21.539 exemplares. Por sua vez, o “Correio da Manhã” cresceu 5% para 90.332 exemplares, enquanto a revista “Visão” ganhou 3,7% para 47.294 exemplares. Os restantes jornais perderam gás entre janeiro e agosto: o “Jornal de Notícias” caiu 1,4% para 50.082 exemplares, o “Expresso” desceu 3,1% para 90.848 exemplares e o “Diário de Notícias”, que passou a ser publicado exclusivamente aos domingos, recuou 17,9% para uma média de 10.971 exemplares por edição.

O Jornal Económico agradece a preferência demonstrada pelos seus leitores, parceiros e anunciantes, renovando o compromisso de os continuar a servir com jornalismo independente, rigoroso e de qualidade.

Relacionadas

JE atinge liderança e passa a ser a publicação de economia mais lida em Portugal

Dados do Bareme Imprensa revelam que, pela primeira vez, o Jornal Económico passou a ser a publicação económica mais lida em Portugal, com uma audiência média de 179 mil leitores por edição (2,1%), à frente do “Jornal de Negócios” e da “Exame”. Entre os jornais e revistas de circulação nacional, apenas o JE, o “JN” e o “Sol” têm hoje mais leitores do que há um ano.
Recomendadas

Grupo SATA integra projeto Cluster Grace Açores

Associados e membros do cluster partilham boas-práticas e desenvolvem sinergias com o objetivo de colocar os temas da Agenda 2030, 2050 e ESG (Environmental, Sustainability and Governance) como prioritários nas agendas das empresas.

Binter e Embrar fecham compra de cinco novas aeronaves por mais de 369 milhões de euros

As duas primeiras unidades estão previstas para chegar às Ilhas Canárias em novembro de 2023.

Manuel Champalimaud compra à Novares a área de injeção de plásticos para a indústria automóvel

A aquisição visa reforçar posição do Grupo Champalimaud no sector dos componentes de plástico decorativo e de interface para a indústria automóvel.
Comentários