Clientes podem criar o seu próprio Delta

A Delta vai permitir, a partir de novembro, que os consumidores criem e personalizem o sabor das suas cápsulas Delta Q. Para cada embalagem de 20 cápsulas McQoffee customizada, os clientes podem escolher cafés e descafeínados de origem arábica e robusta. A escolha é feita online e cada embalagem de 20 cápsulas custa 9,90 euros […]

A Delta vai permitir, a partir de novembro, que os consumidores criem e personalizem o sabor das suas cápsulas Delta Q. Para cada embalagem de 20 cápsulas McQoffee customizada, os clientes podem escolher cafés e descafeínados de origem arábica e robusta. A escolha é feita online e cada embalagem de 20 cápsulas custa 9,90 euros e deverá demorar entre duas a três semanas a sem entregue em casa do cliente. “É o período ideal para este lançamento que pode funcionar como um presente de Natal”, explica Rui Miguel Nabeiro, administrador do grupo Delta, na apresentação à imprensa.
A marca anunciou ainda que, quase a atingir os oito anos de existência, a Delta Q está à venda em 20 mercados e ultrapassou a fasquia dos mil milhões de cápsulas vendidas. Lançada em novembro de 2007, a Delta Q chegou ao mercado com sete blends e duas máquinas. No ano seguinte, em julho, atingiu um milhão de cápsulas vendidas.

Recomendadas

Bruxelas quer que plataformas passem a cobrar IVA para evitar concorrência desleal

De acordo com as atuais regras de IVA, são os próprios prestadores de serviço – sejam motoristas ou donos de alojamento local – que são obrigados a coletar o IVA e a remiti-lo para as autoridades tributárias do seu país.

UE dá luz verde a entrada de Croácia no espaço Schengen

Com esta aprovação, pelos ministros dos Assuntos Internos da UE, seguindo a recomendação da Comissão Europeia de 16 de novembro, a Croácia deixará de ter fronteiras internas com os outros países do espaço Schengen.

Trabalhadores do MNE português no Brasil vão ter atualização salarial de 48,9%

Os trabalhadores nos postos consulares e missões diplomáticas no Brasil vão ter as suas remunerações atualizadas em 48,9%, a mesma percentagem da depreciação monetária acumulada do real, segundo legislação publicada em Diário da República.