CML tem 1 milhão para apoiar “até 20 projetos” de mobilidade urbana

A Câmara Municipal de Lisboa anunciou hoje a intenção de apoiar “até 20 projetos inovadores” para criar soluções digitais que respondam a desafios de mobilidade urbana de comunidades vulneráveis na cidade, dispondo de um total de milhão de euros.

“Estão abertas as candidaturas para a ‘Open Call VoxPop Lisboa’, dirigida a inovadores que respondam aos desafios de mobilidade urbana das comunidades mais vulneráveis na cidade”, informou a câmara municipal, na sequência de um evento ‘online’ sobre a iniciativa, que se realizou esta manhã, com a participação dos vereadores da Mobilidade, Ângelo Pereira (PSD), e da Economia e Inovação, Diogo Moura (CDS-PP).

O processo de candidaturas irá decorrer até 25 de setembro, para apoiar projetos “até 60.000 euros” que permitam o desenvolvimento e implementação de “soluções digitais em código aberto” no âmbito dos desafios de mobilidade urbana, estando o município de Lisboa disponível para financiar “até 20 projetos inovadores”.

“Um milhão de euros para melhorar a acessibilidade e a segurança de pessoas ou qualquer grupo vulnerável que tenha a sua experiência de mobilidade restrita — pessoas com deficiência, população idosa, crianças, mulheres grávidas, etc.”, lê-se no ‘site’ da iniciativa ‘Open Call VoxPop Lisboa’ – www.voxpoplisboa.pt.

De acordo com a informação disponível no ‘site’, a subvenção financiará custos de desenvolvimento, adaptação e teste em ambiente operacional de “soluções digitais desenvolvidas em código aberto, que contribuam para um ecossistema de mobilidade mais acessível e inclusivo em Lisboa”.

Relativamente à elegibilidade dos candidatos, a iniciativa é aberta à participação de micro, pequenas e médias empresas, organizações da sociedade civil, organizações não governamentais, instituições de ensino superior e centros de investigação com sede ou representação legal nos Estados-membros da União Europeia ou num dos países associados ao Programa Horizonte Europa, nomeadamente Albânia, Arménia, Bósnia e Herzegovina, Ilhas Faroé, Geórgia, Islândia, Israel, Kosovo, Moldávia, Montenegro, Marrocos, Macedónia do Norte, Noruega, Sérvia, Turquia, Tunísia, Ucrânia e Reino Unido.

Um dos desafios de mobilidade urbana de comunidades vulneráveis na cidade de Lisboa é o planeamento de viagens, nomeadamente “permitir o planeamento fiável e fácil de percursos através de, por exemplo, acesso a informação atualizada e verificada de percursos contínuos desimpedidos ou das condições de acessibilidade a espaços públicos [transportes, serviços, recintos]”.

A navegação autónoma, os serviços inclusivos de bilheteira, a promoção de uma mobilidade mais segura, o gozo pleno de espaços públicos e as soluções comunitárias para uma mobilidade mais inclusiva são outros dos desafios, de acordo com a informação sobre a iniciativa ‘Open Call’.

Depois do processo de candidaturas, o anúncio dos resultados da avaliação dos projetos candidatos está previsto para novembro, seguindo-se a assinatura de acordo de subvenção também nesse mês e o desenvolvimento dos projetos entre dezembro deste ano e maio de 2023, para que se dê o encerramento da iniciativa em junho do próximo ano.

Recomendadas

Entregas ao domicílio da IKEA serão totalmente elétricas até 2025, diz CEO

A meta para 2030 é ser uma empresa positiva para o clima, isto é, reduzir mais gases de efeito estufa do que aqueles que são emitidos por toda a sua cadeia de valor.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta segunda-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta segunda-feira.

Sete anos de prisão para ex-bancário que se apropriou de meio milhão de euros de clientes

O Tribunal de Aveiro condenou hoje a sete anos de prisão um ex-funcionário bancário, de 47 anos, que se apropriou de mais de meio milhão de euros de vários clientes de uma instituição bancária de Estarreja.
Comentários