Coletes Amarelos: Menos de 25.000 manifestantes hoje em França

Os protestos de ‘coletes amarelos’ de hoje em França mobilizavam, às 14:00 locais (13:00 em Lisboa), 23.800 manifestantes em todo o país, quase menos 10.000 do que há uma semana, quando eram 33.500, segundo números do Ministério do Interior.

Caroline Blumberg / EPA

Em Paris, a prefeitura de polícia contabilizou 2.000 manifestantes cerca das 16:00 (15:00 em Lisboa), metade dos registados no sábado passado, 4.000, segundo fonte policial citada pela agência France-Presse.

Ao longo do dia, na capital francesa, 109 pessoas foram identificadas pela polícia, sete das quais ficaram detidas preventivamente, segundo a prefeitura.

O movimento foi mais visível nas fronteiras, especialmente com Espanha e com a Bélgica, onde bloqueios montados pelos manifestantes acabaram por ser levantados pela polícia, com recurso a gás lacrimogéneo.

Este é o sexto sábado consecutivo de manifestações de ‘coletes amarelos’ desde 17 de novembro. A primeira manifestação juntou 282.000 pessoas em todo o país, segundo as autoridades.

Milhares de pessoas envergando ‘coletes amarelos’ têm-se manifestado em França, um protesto que inicialmente exigia a suspensão de um novo imposto sobre os combustíveis e acabou por se ampliar a uma série de outras reivindicações.

Algumas dessas manifestações degeneraram em violência, com automóveis e contentores de lixo incendiados e confrontos com as forças policiais, que fizeram até ao momento 10 mortos e centenas de feridos.

Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta quarta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta quarta-feira.

Iraque. Violência regressa às ruas de Bagdad

Apoiantes de clérigo xiita Muqtada Al-Sadr entraram em confronto com forças de segurança iraquianas na capital, fazendo regressar a violência, depois de algumas semanas de paz política.

Parlamento Europeu vai pedir suspensão das negociações de adesão com a Sérvia

Como seria de esperar, o entendimento entre a Sérvia e a Rússia, concluído em Nova Iorque, vai acabar por bloquear a possibilidade de entrada do país balcânico no bloco europeu. O Parlamento Europeu vai dar o mote.
Comentários