Com a subida da inflação, como pagar todas as contas do mês? Calcule a sua taxa de inflação pessoal

É necessário começar por definir um plano e estratégia para combater a inflação e tomar medidas. A família ou o consumidor deve começar por fazer o seu diagnóstico financeiro. Para tal, é fundamental utilizar a ferramenta orçamento familiar. 

Para muitas famílias está já a ser muito difícil pagar todas as suas despesas e a descida da inflação parece estar longe de acontecer. Por muita ginástica que as famílias consigam fazer, os rendimentos nem sempre são suficientes, o dinheiro não estica, há despesas fixas e o custo de vida está a aumentar. 

O que se pode fazer? Pode cortar-se em mais alguma despesa? Já analisou tudo o que é possível renegociar ou mesmo anular? 

É necessário começar por definir um plano e estratégia para combater a inflação e tomar medidas. A família ou o consumidor deve começar por fazer o seu diagnóstico financeiro. Para tal, é fundamental utilizar a ferramenta orçamento familiar. 

É necessário estar ciente de que a inflação oficial impacta na vida de todos nós e que esta pode ser diversa da inflação pessoal. No orçamento das famílias, os preços dos bens comprados com mais frequência têm grande peso, explica a razão pela qual muitas famílias percecionam a sua inflação atual como sendo superior à inflação oficial. É possível medir a inflação pessoal através da comparação do aumento dos gastos de um período para outro, seja mensal, semestral ou anualmente. 

Veja o vídeo da DECO sobre este tema.  

Calcule aqui a sua taxa de inflação pessoal 

Mas o que se pode fazer? 

Após fazer o orçamento, devem identificar-se os principais gastos e rendimentos. 

Depois, caso o saldo do orçamento mensal seja negativo ou próximo de zero, deve refletir-se cuidadosamente: poder-se-á reduzir algumas despesas? Dever-se-á, desde logo, identificar os gastos essenciais e os gastos não essenciais ou supérfluos. No curto/médio prazo poder-se-á agir sobre estes e cortar alguns, se necessário. 

De seguida, devem identificar-se as responsabilidades de crédito existentes e calcular a taxa de esforço, ou seja, o peso das prestações de crédito no rendimento líquido. Idealmente, deverá ser inferior a 35%. Caso seja superior, deve tentar reduzir-se o montante das prestações de crédito. Para tal, há que contactar a instituição de crédito. 

 A DECO poderá ajudar a família ou o consumidor na busca de solução. 

Conte com o apoio da DECO MADEIRA através do número de telefone 968 800 489/291 146 520, do endereço eletrónico deco.madeira@deco.pt. Pode também marcar atendimento via skype. Siga-nos nas redes sociais Facebook, Twitter, Instagram, LinkedIn e Youtube.

Recomendadas

Saiba que erros evitar na gestão das finanças pessoais

Faça um Plano Financeiro. Defina objetivos a curto, médio e longo prazo, mas que consiga cumprir. Quantifique-os e defina prazos. Calcule pequenas metas a curto prazo para os atingir e mantenha-se focado nesses objetivos, sem ser demasiado ambicioso.

PremiumEconomia abranda, mas desemprego resiste

A economia voltou a desacelerar no terceiro trimestre, mas o mercado de trabalho parece estar a resistir. Inflação já pressiona empregadores, mas desemprego mantém-se em níveis baixos.

Salários reais caem pela primeira vez neste século e deixam milhões de trabalhadores em dificuldades

Há milhões de trabalhadores em dificuldades: os salários reais têm caído, pelo que são precisas, avisa a OIT, medidas que protejam o poder de compra. Em Portugal, o Governo já ajustou, por exemplo, a trajetória do salário mínimo com essa intenção em mente.
Comentários