Combustíveis: Escolher o posto certo vale poupança de 540 euros por ano

Numa família com dois automóveis, com um consumo mensal de 180 litros, escolher o posto mais barato pode valer uma poupança de 540 litros por ano. No Porto consegue poupar-se mais que em Lisboa.

Todos os meses o cenário é o mesmo. À medida que se aproxima o final do mês, os trajetos de automóvel passam a ser apenas os indispensáveis e as visitas à bomba adiadas para quando for totalmente inevitável. Mas a eleição dos postos certos permite conseguir realizar poupanças de monta, que oscilam entre os 367 e os 540 euros anuais, de acordo com o combustível do seu automóvel e a região onde vive.

Tomemos como exemplo uma família com dois automóveis, com um consumo médio mensal de 180 litros. Analisando os dados da Direção-Geral de Energia e Geologia, que recolhem os preços dos combustíveis, é possível descortinar diferenças que ascendem a 25 cêntimos por litro, o que, ao fim de um ano, garante uma poupança de 540 euros. Isto se o seu automóvel consumir gasolina 98 e se habitar no distrito do Porto.

De facto, comparativamente com Lisboa, é no Porto que estão os melhores “negócios”. Atentando aos três principais combustíveis (gasolina simples 95, 98 e gasóleo simples), a diferença entre os postos mais caros e mais baratos é sempre maior no distrito nortenho que no da capital. No caso da gasolina simples 95, em Lisboa pode poupar 17 cêntimos por litro, enquanto no Porto a poupança pode ascender aos 18,7 cêntimos. Cenário igual verifica-se no caso da gasolina 98. Em Lisboa a poupança máxima é de 23,5 cêntimos por litros, ao passo que no Porto ascende aos 25 cêntimos. Já no que respeita ao gasóleo, Lisboa e Porto apresentam um índice de poupança de 18 e 21,5 cêntimos por litro, respetivamente.

Contas feitas, os habitantes do distrito de Lisboa conseguem uma poupança máxima anual de 367 euros caso consumam gasolina simples 95; 507 euros caso consumam gasolina 98 e 389 euros no caso do gasóleo. Já no Porto, as poupanças máximas cifram-se nos 403 euros para a gasolina simples 95; 540 euros para a gasolina 98 e 464 euros para o gasóleo.

Ecocondução também é trunfo 
Além de se manter atento aos postos mais baratos da sua região, o que pode ser feito recorrendo ao site da Direção-Geral de Energia e Geologia para o efeito (www.precoscombustiveis.dgeg.pt), adotar táticas de condução mais económicas, pode significar menos viagens ao posto de abastecimento e, consequentemente, menos euros gastos com combustível.

Antes mesmo de arrancar já pode estar a poupar. A simples manutenção da correta pressão dos pneus ajuda a diminuir os consumos em cerca de dois litros por cada cada cem quilómetros percorridos, ou seja, entre 2,2 e 3 euros de poupança. Respeitar os períodos de manutenção aconselhados pelo fabricante e verificar regularmente o óleo do motor são outros conselhos para poupar dinheiro.

Em marcha, tente não ultrapassar as 2.500/3.000 rotações nos motores Diesel e as 3.000 nos motores a gasolina, altura em que o consumo aumenta… E muito. Utilize, sempre que possível, uma mudança mais elevada, conduzindo suavemente, sem acelerações ou travagens bruscas. Uma condução desportiva pode aumentar o consumo em 40%.

Procure também circular a velocidades razoáveis, pois 10 km/h a menos na autoestrada permite economizar até cinco litros de combustível. Caso tenha meso de ir mais depressa, feche todas as janelas para obter maior aerodinâmica e ligue o ar condicionado apenas se estritamente necessário.

Relacionadas

Como poupar no crédito pessoal

Renegociar o crédito ou transferi-lo para outra instituição financeira pode ser a chave para poupar. A consolidação dos vários créditos do agregado também permite poupanças de monta.

Dicas para começar a poupar (a partir de casa)

Algumas mais básicas, outras que nunca nos passariam pela cabeça. No Dia Mundial da Poupança, o Jornal Económico foi ouvir os melhores conselhos dos especialistas para poupar.

Conheça as melhores (e piores) opções para investir as poupanças

Deixar as poupanças debaixo de colchão é cada vez menos uma solução e a inflação faz com que se vá perdendo dinheiro ao longo do tempo. No entanto, é preciso ponderar as várias opções de investimento e ter em conta o risco que se quer tomar.

Como poupar no seu crédito à habitação?

A descida continuada das taxas de juro e a competição que há entre as instituições bancárias para a redução dos spreads permite que, com alguma negociação, seja possível poupar alguns milhares de euros com o seu crédito à habitação
Recomendadas

Deco recomenda que compra do material escolar seja feita com antecedência

A DECO recomenda que seja feito um estudo prévio no mercado, no sentido de garantir os preços mais baixos, pois os valores podem variar de papelaria para papelaria.

Nova lei das telecomunicações protege consumidores que querem cancelar um contrato (com áudio)

De acordo com a nova lei, publicada dia 16 deste mês, esta situação será modificada. A nova lei prevê que nos casos em que o motivo se trata de desemprego, doença prolongada ou emigração, os consumidores poderão rescindir o contrato sem ter que efetuar qualquer pagamento.

Tome atenção aos falsos intermediários de créditos

É importante que o consumidor redobre os seus cuidados e que procure por estar sempre informado. Esteja atento a estas abordagens e na dúvida, antes da celebração de qualquer negócio, o consumidor deve analisar se a entidade em questão está habilitada a exercer a sua atividade em Portugal através do site do Banco de Portugal.
Comentários