PCP reúne-se no primeiro congresso depois de acordo com o PS

Na reunião magna dos comunistas também servirá eleger um novo Comité Central e para fazer um balanço ao acordo de governação com o PS.

O XX Congresso do PCP começa hoje em Almada. Até domingo, 1200 delegados, vão eleger um novo Comité Central, renovar a liderança de Jerónimo de Sousa e analisar o acordo de governo com o PS.

O lema do congresso é: “PCP – com os trabalhadores e o povo, democracia e socialismo”, e o secretário-geral, Jerónimo de Sousa, fará a intervenção de abertura.

Os delegados vão começar por eleger os membros para a presidência do congresso, aprovar a ordem de trabalhos e o horário, o secretariado, a comissão de verificação de mandatos, a comissão de redação para a proposta de resolução política e a comissão eleitoral.

Após ter aprovado dois Orçamentos do Estado no âmbito do acordo de governo com o PS, as intervenções políticas dos comunistas não deixarão de vincar as diferenças face aos socialistas.

O encerramento do primeiro dia está previsto para as 20 horas.

Os delegados voltam a reunir-se no sábado, para o segundo dia de intervenções políticas e para a eleição, por voto secreto, dos novos membros do Comité Central, os quais vão depois escolher o secretário-geral, os membros dos organismos executivos e da Comissão Central de Controlo.

Segundo dados do PCP, o mais antigo partido político português, com 95 anos, desde a última reunião magna, em 2012, os comunistas recrutaram mais 5300 militantes, contando atualmente com 54.280 militantes.

Recomendadas

Associação dos municípios aprova acordo para descentralização na ação social

Com este acordo, “no próximo ano, a transferência de competências tornar-se-á universal”, segundo a ANMP.

Governo apela a entendimento entre sindicato e administração da TAP para evitar greves

“O apelo que posso fazer é para que a administração, mas também o sindicato faça um esforço de entendimento e que se consiga poupar a TAP a mais cinco dias de greve”, afirmou Pedro Nuno Santos.

Chega espera que SIC “aja em conformidade com o recomendado pela ERC”

“O Chega considera que é importante garantir a pluralidade neste tipo de programas”, disse o partido em comunicado.
Comentários