Começou a retirada de migrantes da “selva” de Calais

Operações de desmantelamento do maior campo de refugiados já tiveram início. Os mais de 6 mil refugiados serão levados para centros de acolhimento espalhados pela França.

As autoridades francesas começaram, esta segunda-feira, o processo de desmantelamento do campo de refugiados de Calais, no norte do país, e a transferência dos cerca de 6 400 migrantes que aí residentes para centros de acolhimento em todo o país.

O primeiro autocarro com migrantes partiu esta manhã do campo de refugiados de Calais, menos de uma hora depois do início das operações de limpeza, com 50 sudaneses, rumo à região da Borgonha.

As agências humanitárias alertam as autoridades para o risco de resistência de alguns migrantes ao realojamento.

Desde o anúncio do desmantelamento, as tensões entre a polícia e os refugiados têm aumentado. Durante o fim-de-semana, vários polícias foram atingidos por pedras e outros materiais, obrigando a polícia a responder com gás lacrimogéneo.

As autoridades estimam que as operações de evacuação do campo durem três dias, estando previsto para quarta-feira o fim da retirada dos refugiados. Depois disso, a “selva” de Calais, símbolo da incapacidade da França em dar resposta à pior crise migratória do pós-guerra, deverá ser completamente destruída.

Recomendadas

Portugal saúda o Governo venezuelano e a oposição pela retoma do diálogo

“Portugal felicita as partes venezuelanas e os mediadores noruegueses pelo retomar das negociações na Cidade do México”, segundo uma mensagem do Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE) de Portugal.

Milhares de pessoas correm em Caracas em ação promovida pela UE sobre violência contra as mulheres

A iniciativa, que conta com uma corrida de 10 quilómetros e uma caminhada de cinco quilómetros, proporcionou uma “festa” pelas ruas da capital da Venezuela, com o principal objetivo de sensibilizar a população para que não permita “nem um único ato de violência” contra as mulheres, explicou o chefe de missão da delegação da UE, Rafael Dochao Moreno, em declarações à agência Efe.

Mundial2022: Federação do Irão acusa a dos EUA de suprir símbolo de Alá

“Num ato não profissional, a página do Instagram da Associação Americana de Futebol removeu o símbolo de Alá da bandeira iraniana”, denunciou agência de notícias oficial Irna, que revelou o facto da federação iraniana ter enviado um email à FIFA “para exigir que envie um aviso sério” à sua congénere.
Comentários