Comentário: A queda de 20% do Banif

Incontornável observarmos o Banif na sessão de hoje. Pelo segundo dia consecutivo, o ativo perde mais de 10%. Esta quarta-feira a marca foi de quase 20%.


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

São cada vez mais os investidores que duvidam da capacidade do banco devolver ao Estado o montante por este injetado. Apesar de Amado ter referido que proteger a instituição é proteger os contribuintes, este discurso parece não estar a suscitar os efeitos desejados.

Por outro lado, o chumbo da Comissão Europeia ao plano de reestruturação tem afastado bastantes investidores, que começam a assumir posições de venda a descoberto no activo, com vista a realização de ganhos de curto-prazo.

Ao preço atual, qualquer variação mínima do preço corresponde a cerca de 7,7% em termos relativos tornando-o bastante atractivo para entradas e saídas rápidas. No meio de tudo, tem sido evidente a incapacidade da actual equipa de gestão de estancar a saída de capitais dos banco, bem como a perda de rentabilidade do negócio principal.

Parece pouco provável que exista um verdadeiro interessado na instituição hoje detida em maioria pelo Estado Português.

A irrelevância da posição do banco no mercado português tornam-no pouco atractivo para os gigantes do sector.

Num momento em que instituições de referência vendem os seus negócios no País, seria contracorrente assistirmos a uma venda, ainda mais considerando a frágil situação do banco.

Por Pedro Ricardo Santos, gestor da XTB Portugal 

Recomendadas

PremiumBCE e Fed avaliam peso da subida de juros e ritmo pode abrandar nas próximas reuniões

As atas das mais recentes reuniões de política monetária na zona euro e EUA mostram uma preocupação de ambos os bancos centrais com o abrandamento da economia, dando esperanças de subidas menos expressivas dos juros nos próximos meses, embora os sinais neste sentido sejam mais fortes do outro lado do Atlântico.

Musk tinha um plano para o Twitter? Veja as escolhas da semana no “Mercados em Ação”

Conheça as escolhas da semana do programa da plataforma multimédia JE TV numa edição que contou com a análise de Nuno Sousa Pereira, head of investments da Sixty Degrees.

PSI encerra no ‘vermelho’ em contra ciclo com a Europa

Lá fora, as principais praças europeias negociaram maioritariamente em terreno positivo. O FTSE 100 valorizou 0,32%, o CAC 40 ganhou 0,08%, e o DAX apreciou 0,01%. O espanhol IBEX 35 manteve-se estável.