Comércio grossista e de retalho é o setor que antecipa mais contratações no próximo ano

Estudo da ManpowerGroup prevê criação líquida de emprego de 9% para Portugal no primeiro trimestre de 2019. 14% das empresas prevêem um aumento de contratações face a 5% que antecipa uma redução.

Neil Hall/Reuters

As empresas do setor do comércio grossista e retalhista e da eletricidade, gás e água são as que antecipam a maior contratação de novos trabalhadores no primeiro trimestre do próximo ano em Portugal, segundo um estudo da ManpowerGroup divulgado esta terça-feira.

Segundo os dados do “ManpowerGroup Employment Outlook Survey”, a criação líquida de emprego será de 9% para Portugal. O comércio grossita e de retalho prevê um aumento de 15% na contratação de trabalhadores, enquanto as empresas de fornecimento de eletricidade, gás e água um acréscimo de contratações de 14%. De forma mais ligeira, também os setores de transportes, logística e comunicações prevêem aumentar as contratações.

“Ainda que os resultados sejam positivos, as intenções de contratação dos empregadores portugueses para o período entre janeiro e março, são mais comedidas do que no início deste ano, recuando 4% face às antecipadas para os primeiros três meses de 2018”, salienta a empresa. O estudo trimestral, que analisa 625 empresas portuguesas, antecipa que 14% das empresas prevêem um aumento de contratações, 5% uma redução e 78% consideram que não haverá alterações.

“Depois de um ano marcado por um aumento significativo nas intenções de contratação, é natural que haja uma tendência de estabilização”, referiu Raúl Grijalba, diretor-executivo da ManpowerGroup para a zona do Mediterrâneo. “Ainda assim, as perspetivas são animadoras, uma vez que as empresas continuam a precisar de mão-de-obra adicional, apesar das dificuldades em encontrar candidatos com as competências necessárias. Por isso mesmo, consideramos que em 2019 o grande desafio será encontrar um  equilíbrio certo entre as capacidades dos candidatos e as novas exigências do mercado de trabalho”, conclui.

As grandes empresas são as que assinalam o maior crescimento no ritmo das contratações, com uma projeção de 24%, seguidas por um aumento de 17% nas médias empresas, enquanto as pequenas empresas antecipam uma aceleração de 7% no ritmo das contratações.

“Face ao trimestre anterior, as médias empresas reportam uma melhoria de 8% e as pequenas empresas uma melhoria de 3% nas intenções de contratação. Já as grandes empresas antecipam um decréscimo de 7%, e as microempresas não registam alterações significativas”, refere.

Relacionadas

Volume de negócios nos serviços aumentaram 4,8% no mês de outubro

Em termos homólogos este resultado é inferior em 0,2 pontos percentuais (p.p.) ao registado no mês anterior.

Insolvências de empresas diminuem 22% em novembro

No acumulado do ano, Leiria, Viseu e Portalegre foram os distritos portugueses com a maior queda nas insolvências.
Recomendadas

ANA diz que reduziu taxas nos aeroportos na pandemia e devolveu este ano 13 milhões de euros

A ANA disse hoje que fez “reduções substanciais” nas taxas aeroportuárias durante a pandemia, tendo devolvido este ano 13 milhões de euros às companhias aéreas, numa altura em que propôs um aumento de 10,81% para 2023.

Montepio vende Finibanco Angola a grupo da Nigéria

O Acess Bank é uma entidade detida a 100% pela Access Holdings Plc (Access Corporation), um banco comercial que opera através de uma rede de mais de 700 balcões e pontos de atendimento, abrangendo 3 continentes, 17 mercados e 45 milhões de clientes, segundo o Montepio. Valor não foi divulgado.

Nova Expressão reforça para 10% da Inapa

A Nova Expressão SGPS reforçou a participação acionista na  Inapa – Investimentos, Participações e Gestão para 10%, ou seja detém uma participação qualificada.
Comentários