Comissão de mercado dos EUA investiga Goldman Sachs

Fundos que dizem levar em linha de contra altos padrões ambientais, sociais e de governança estão sob auscultação da autoridade dos mercados, na tentativa de dar alguma transparência ao sector.

A Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC) está a investigar a divisão de gestão de ativos do Goldman Sachs sobre os seus fundos que procuram investir com base em padrões ambientais, sociais e de governança (ESG), adianta o Wall Street Journal.

A investigação está focada na divisão de fundos mútuos do Goldman Sachs, que gere pelo menos quatro fundos que têm energia limpa ou ESG nos seus nomes. Ainda há poucas semanas, a Goldman Sachs fez um périplo mundial para dar a conhecer os seus fundos ligados a ESG – com o ex-presidente da Comissão e ex-primeiro-ministro Durão Barroso a ser um dos palestrantes.

A SEC propôs no início deste ano algumas mudanças nas regras deste tipo de fundos, não só para padronizar informação, mas também para ‘secar’ as divulgações de itens duvidosos, pouco claros ou que podem induzir em erro os investidores.

Todas as grandes empresas gestoras de fundos têm agora no seu portefólio fundos ESG à disposição dos seus clientes – e, segundo alguns indicadores, são dos mais procurados. Mas também se têm multiplicado evidências de que empresas e planos que parecem levar a gestão ambiental e de recursos humanos em linha de conta não passam de aproveitamentos pouco credíveis.

As autoridades legisladoras estão em várias geografias a tentar acomodar alguma transparência em relação a estes fundos e a tentar estancar aquilo que parece não passar de publicidade enganosa.

Recomendadas

Afinal, que soluções existem para as empresas?

O Banco Português de Fomento lançou no início do ano os dois primeiros programas para apoiar a solvabilidade do tecido empresarial português. A banca está focada em aconselhar e montar as operações.

Presidente da Ryanair antecipa subida de preços nas ‘low-cost’

Michael O’Leary diz que o preço médio por bilhete deverá subir entre 10 a 20 euros nas viagens low-cost, que estão a tornar-se, segundo o mesmo, “demasiado baratas”.

Candidaturas selecionadas para o Consolidar conhecidas em julho

Os programas Recapitalização Estratégica e Consolidar têm gerado grande interesse, diz a presidente da comissão executiva do Banco Português de Fomento, Beatriz Freitas, ao Jornal Económico.
Comentários