Comissão dos EUA que investiga assalto ao Capitólio acusa aliado de Trump de desrespeito

A decisão da comissão de investigação segue agora para votação pelo plenário da Câmara dos Representantes e dada a maioria democrata é provável que seja aprovada e entregue ao Departamento de Justiça norte-americano.

A comissão norte-americana que investiga o assalto ao Capitólio, em janeiro, acusou o chefe de gabinete da Casa Branca na altura do ataque Mark Meadows por desrespeito e por não ter cooperado com a investigação.

A comissão da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos tomou a decisão por unanimidade, com os votos dos congressistas republicanos Liz Cheney e Adam Kinzinger, na segunda-feira.

A decisão da comissão de investigação segue agora para votação pelo plenário da Câmara dos Representantes e dada a maioria democrata é provável que seja aprovada e entregue ao Departamento de Justiça norte-americano.

Meadows, de 62 anos, acabou por não cooperar com a comissão de investigação do ataque ao Capitólio de 6 de janeiro, ao contrário do que inicialmente tinha sido avançado.

Naquela data, centenas de manifestantes apoiantes do ex-Presidente republicano Donald Trump investiram sobre a polícia para invadir o local e interromper a confirmação da vitória eleitoral de Joe Biden, na sequência de reiteradas acusações de Trump sobre a existência de fraude eleitoral generalizada, sem fundamentação credível.

O ex-assessor de Trump Steve Bannon foi indiciado pelo Departamento de Justiça por desobediência ao Congresso, quando se recusou a testemunhar e a entregar documentos à mesma comissão.

Recomendadas

NATO defende que Putin está a “usar inverno como arma de guerra”

O secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, acredita que a Rússia vai continuar a atacar a rede elétrica da Ucrânia, bem como a infraestrutura de gás e serviços básicos para o povo.

Chefes da diplomacia da NATO reúnem-se em Bucareste para debater guerra na Ucrânia

Os ministros dos Negócios Estrangeiros da NATO vão reunir-se na terça e quarta-feira em Bucareste, capital da Roménia, para debater o aumento do apoio à Ucrânia, a resiliência da Aliança e os “desafios colocados pela China”.

Deputada do PSD Paula Cardoso defende mais sanções para punir crimes sexuais em guerra

A deputada do PSD Paula Cardoso defendeu hoje o reforço de meios internacionais para julgar responsáveis por violência sexual em cenários de conflito e o uso de outro tipo de penalidades, como sanções económicas, para proporcionar justiça às vítimas. 
Comentários