Comissão Europeia e CIP debatem Plano de Investimento na Europa

As oportunidades de investimento para economia portuguesa vão estar em cima da mesa, numa sessão na próxima segunda-feira (28).

No próximo dia 28, a representação da Comissão Europeia em Portugal e a Confederação Empresarial de Portugal (CIP) organizam um debate centrado no Plano de Investimento para a Europa.

Intitulado “Plano de Investimento para a Europa: Que Oportunidades para a Economia Portuguesa?”, o evento realiza-se na tarde de segunda-feira, em Leça da Palmeira, no Porto. Da mesa de trabalhos vão constar questões, como: “O que fazer para chegarem recursos financeiros à economia real?”.

Em análise estará ainda o Fundo Europeu de Investimentos Estratégicos (EFSI), o Portal Europeu de Projetos de Investimento e o Pólo Europeu de Aconselhamento para o Investimento, bem como os resultados da parceria entre o Banco Europeu de Investimento e a Comissão.

Neste encontro vão estar presentes representantes da Comissão Europeia, do Banco Europeu de Investimento e da CIP. As firmas que tenham interesse em conhecer a elegibilidade dos seus projetos para financiamento ao abrigo do EFSI podem solicitar uma reunião bilateral com os especialistas.

A entrada no evento é gratuita, mas a inscrição tem de ser feita até ao dia de hoje, neste link.

Recomendadas

OE2023: Margem orçamental para função pública está esgotada

Na primeira reunião, realizada na segunda-feira, o Governo indicou que a valorização da administração pública iria custar 1.200 milhões de euros, incluindo aumentos salariais, progressões e promoções e a revisão da tabela remuneratória.

PremiumBdP revê inflação em alta, mas pico já deverá ter passado

Banco central projeta taxa de 7,8%, a mais elevada desde 1993 nos preços, levando a perdas reais nos salários, que crescem a uma taxa mais baixa. Juros em alta não devem criar terramoto na dívida.

PremiumSalário mínimo da Função Pública vai subir 57 euros

A base remuneratória da Administração Pública vai subir 8% em janeiro, o que significa que esses trabalhadores não perderão poder de compra. Já a maioria dos demais funcionários públicos vai ter aumentos abaixo da inflação.
Comentários