Comissão Europeia distingue 10 PME portuguesas

Estes são os resultados da primeira fase do Instrumento PME do Programa de Investigação Horizonte 2020, que contemplou mais 193 PME de 28 países.

O Programa de Investigação Horizonte 2020, da Comissão Europeia, distinguiu dez PME – Pequenas e Médias Empresas portuguesas, que urão receber 50 mil euros cada.

Desta forma, perfaz-se um total de meio milhão de euros, dos 9,65 milhões de euros atribuídos nesta fase.

Estes são os resultados da primeira fase do Instrumento PME do Programa de Investigação Horizonte 2020, que contemplou mais 193 PME de 28 países.

Por ocasião da divulgação da lista de beneficiários, Carlos Moedas, Comissário europeu da Investigação, Ciência e Inovação, responsável pelo Instrumento PME do Horizonte 2020, disse que “os resultados confirmam que este instrumento é, assumidamente, a melhor porta de entrada para as PME no Programa Horizonte 2020 e reflete o apoio deste Programa a Portugal”.

“No espaço de três anos, esta Fase do Instrumento PME já financiou 75 Pequenas e Médias Empresas portuguesas inovadoras. Estou certo que estes resultados representam um desafio para outras PME portuguesas arriscarem e concorrerem a este instrumento que oferece grandes oportunidades. Com o apoio do Horizonte 2020, a UE ajuda as PME inovadoras, fundamentais para a criação de novos postos de trabalho, mais investimentos e maior crescimento económico em Portugal”, acrescentou Carlos Moedas.

Nesta fase, em Portugal, são dez as empresas beneficiárias:

  • A Cyblix Unipessoal Lda, de Marinhais, com um sistema assistido por realidade aumentada para a gestão de infraestruturas de infraestruturas de serviços públicos;
  • A Farmácia Saúde Lda, da Figueira da Foz, com uma plataforma para avaliar a evolução clínica do doente face à medicação prescrita;
  • A Meshporto, Lda, do Porto, permite aos clientes encomendar diretamente de casa ou das mesas de um restaurante diretamente a partir de um telefone;
  • A Pavnext – Technological Pavements, Lda, de Coimbra, com um sistema de redução automática de velocidade para maior segurança rodoviária em cidades mais inteligentes;
  • A Probe.ly – Soluções de Ciberssegurança, de Custóias, com uma aplicação Web que automatiza a procura de vulnerabilidades na Internet, reduzindo os custos deste serviço;
  • A TWEVO, Lda, de Coimbra, que desenvolveu um modem sem fios para as comunicações de drones que permite uma conectividade em tempo real mais segura e a maior distância.;
  • A METAICG Innovation Consulting Group, Lda, de Castelo Branco, com a tecnologia SENSEI que permite otimizar o comércio a retalho com informações em tempo real sobre a atividade dos clientes;
  • A BERD – PROJECTO, Investigação e Engenharia de Pontes S.A., de Matosinhos, com um sistema telescópico de lançamento rápido para o restabelecimento de pontes.
  • A EAGROOP, Lda., de Óbidos, que apresenta um sistema integrado e inovador de sensores dos campos que constitui um instrumento para as produções agrícolas reduzirem os custos de produção e o desperdício de água;
  • A Follow Inspiration, do Fundão, com um sistema robótico autónomo e autodirigível para melhorar a mobilidade e a integração dos indivíduos, criando uma sociedade mais acessível e igual para todos.

Nesta fase, além de receberem 50 mil euros para financiar uma prova de conceito e um estudo de viabilidade, as empresas distinguidas beneficiam ainda de três dias de formação empresarial (‘coaching’) e serviços gratuitos de aceleração empresarial.

Desde o lançamento do programa a 1 de janeiro de 2014, foram selecionadas 2.616 PME para financiamento ao abrigo da Fase 1 do Instrumento PME, 75 das quais portuguesas.

A próxima data-limite para candidaturas à Fase 1 do Instrumento PME é 8 de fevereiro de 2018.

Recomendadas

Musk espera que o chip cerebral da Neuralink comece testes em humanos em seis meses

O dispositivo que promete permitir que pacientes com deficiência se movam e comuniquem novamente, bem como restaurar a visão, está atrasado. Em 2019, Musk pretendia receber a aprovação regulatória até ao final de 2020. Depois, que esperava iniciar os testes em humanos em 2022. Agora, o prazo foi alargado para o primeiro semestre de 2023.

Moody’s diz que bancos mais globais vão ter lucros sólidos em 2023

“Os bancos globais estarão protegidos de um aumento da morosidade do crédito em 2023 através do aumento das taxas de juro e de balanços sólidos, e as perspectivas para o sector permanecem estáveis”, disse hoje a Moody’s.

Compras das festividades aconteceram mais cedo e serão maiores este ano, segundo a Meta

Alguns dos motivos que podem explicar este acontecimento é o facto de os consumidores estarem preocupados com a escassez de bens, antecipando a compra dos presentes desejados, enquanto as empresas com excesso de stock procuraram eliminá-lo com grandes descontos.
Comentários