Comissão Europeia vai emitir 62,9 mil milhões de euros em dívida em 2021

Bruxelas quer angariar entre 30 milhões a 35 milhões de euros no primeiro trimestre do próximo ano e entre 25 e 30 mil milhões de euros no segundo trimestre. 

A Comissão Europeia quer angariar nos mercados financeiros pelo menos 62,9 mil milhões de euros em 2021, para financiar o programa o SURE, o Mecanismo Europeu de Estabilização Financeira (MEEF) e a Assistência Macro-financeira (AMF).

Bruxelas confirmou esta segunda-feira o plano de emissão de obrigações para o próximo ano ao abrigo dos três programas ja existentes, esperando angariar entre 30 milhões e 35 milhões de euros no primeiro trimestre do ano e entre 25 e 30 mil milhões de euros no segundo trimestre.

“Entre meados de outubro e meados de novembro, a Comissão angariou cerca de 40 mil milhões de euros ao abrigo do SURE, ao mesmo tempo que avançava com as restantes operações”, frisou o Comissário do Orçamento, Johannes Hahn, em comunicado.

O responsável do executivo comunitário salientou que a estreia de Bruxelas como emitente de elevado volume, “capaz de garantir condições favoráveis e transmiti-las aos Estados-membros, foi um voto de confiança para a União Europeia como emitente e como mutuário”.

“Isso deixou-nos confinantes para o futuro próximo, quando estaremos a enfrentar o desafio de concluir com sucesso a implementação do SURE e lançar o Next Generation EU”, vincou.

A Comissão Europeia explica, assim, que além do plano aprovado, irá continuar a preparar a primeira emissão ao abrigo do Next Generation EU e deverá começar a contrair empréstimos para financiar a recuperação ao abrigo desta ferramenta assim que o processo legislativa seja concluído, “no horizonte de meados de 2021”. Porém, aguarda a ‘luz verde’ dos parlamentos nacionais, uma vez que têm que ratificar a decisão dos recursos próprios.

Para já, Bruxelas têm planeado arredar 50,8 mil milhões de euros ao abrigo do SURE, sob a forma de títulos sociais – que complementam os 39,5 mil milhões de euros já colocados no mercado este ano. “A Comissão pode proceder a novas emissões ao abrigo do programa SURE em 2021, até ao limite máximo disponível de 100 mil milhões de euros, dependendo da procura dos Estados-membros”, dá nota.

Do montante a arrecadar, a Comissão Europeia prevê refinanciar 9,75 mil milhões de euros com vencimento no primeiro semestre de 2021, ao abrigo do MEEF, para “estender as maturidades do apoio concedido à Irlanda e a Portugal”. Os restantes 2,35 mil milhões de euros serão emitidos ao abrigo do MAF.

Recomendadas

JE Bom Dia: ‘Money Supply’ na Europa é conhecida num contexto de subida de taxas de juro

Por cá, o Banco de Portugal divulga os dados de crédito ao sector privado em outubro, e será um dia parado no Parlamento depois da aprovação do Orçamento do Estado na passada sexta-feira.

Topo da Agenda: o que não pode perder nos mercados e na economia esta semana

Uma semana rica em dados da inflação na Europa, que os mercados analisarão com atenção na busca de sinais sobre a política monetária de médio-prazo do BCE, que tem vários responsáveis a discursar. Também nos EUA e Inglaterra os responsáveis pelos bancos centrais discursam na antecâmara da última reunião do ano.

PRR, mesmo sem inflação, sofreria dos mesmos problemas

Execução da bazuca enfrentaria dificuldades com burocracia e mudanças na economia global, reforçando papel dos contabilistas.
Comentários