Como a Indústria 4.0 pode ajudar a criar a fábrica do futuro

A fábrica do futuro é o centro de uma cadeia de distribuição que combina clientes, fornecedores, distribuidores e parceiros com sistemas analíticos avançados. Isso pode levar a uma “produção perfeita” com o mínimo de tempo de inatividade, negligência, desperdício e ineficiência.

Abaixo, exploramos as principais tecnologias que compõem a Indústria 4.0, para que possa implementá-las na sua empresa de produção.

Internet das Coisas (Internet of Things – IoT)
A IoT é a fusão de objetos físicos, como software, sensores e itens eletrónicos, com a Internet e a recolha e transferência de dados ativados por máquinas. A IoT permite que as cadeias de distribuição tradicionais se tornem mais digitais e conectadas. Exemplos da IoT em ação incluem a facilidade das aplicações e o fluxo de produção em fábricas, pois podem monitorizar automaticamente os ciclos de desenvolvimento.

Grande volume de dados e análise avançada
A maneira como as empresas leem e analisam a enorme quantidade de dados que acompanham a IoT é vital. Na produção, a disponibilidade de dados do desenvolvimento do produto, produção e ensaio, por exemplo, pode adicionar novas dimensões, permitindo inovação e tomada de decisões direcionados.

Robótica
Os robôs já são usados extensivamente no mundo da produção – braços mecânicos nos braços de montagem são um exemplo disso. A Indústria 4.0 poderia ver a contribuição dos robôs a aumentar.

Simulações, impressão 3D e realidade aumentada
Já é comum os produtos serem virtualmente modelados e testados, poupando tempo e reduzindo os materiais, esforços e investimento. Através da impressão 3D, podemos ver a criação de designs personalizados, complexos e leves em velocidades notáveis.

Ganhe vantagem competitiva
Apenas 30% dos fabricantes que investem na transformação das suas operações digitais atingirão todo o seu potencial, retidos por modelos de negócio e tecnologia ultrapassados. A sua empresa pode usar a Indústria 4.0 para criar uma vantagem competitiva e melhorar a sua oferta de produtos, fidelidade e satisfação entre a base de clientes.

Os quatro pilares para uma estratégia eficaz da Indústria 4.0:

  1. Pessoas
    As tarefas, até agora geridas por pessoas, estão a ser entregues cada vez mais recorrentemente a robôs e à inteligência artificial (IA), mas os seres humanos ainda terão um papel importante.
  2. Software
    Aproveitar os sistemas integrados que podem suportar todas as áreas dos seus negócios – como o Sage X3 (stock, vendas, produção, contabilidade e finanças) – é vital. Isso fornecerá uma única base de dados e uma funcionalidade principal, automatizando as suas operações comerciais e fornecer informações em tempo real.
  3. Hardware
    Num ambiente de fábrica virtual, os seus produtos ainda precisam de ser feitos – tal não acontece sem as máquinas.
  4. Conectividade
    Para diferenciar o seu negócio, precisa de se concentrar nos clientes. Para tal, deve explorar novas formas de fornecer produtos e serviços inovadores.

Por meio da Indústria 4.0, pode olhar em frente para uma fábrica do futuro – conectando informações de modo a que as máquinas inteligentes possam colaborar umas com as outras, administradas por uma equipa de trabalhadores analíticos e especializados.

 

Este conteúdo patrocinado foi produzido em colaboração com Sage.

Recomendadas

EDP Renováveis vende Companhia Paranaense de Energia por 350 milhões de euros

A venda foi feita por um Enterprise Value (inclui dívida) estimado de 1,80 mil milhões de reais a 31 de dezembro de 2021 (o que equivale a 0,35 mil milhões de euros à taxa cambial de 5,16 euros/um real), e que será ajustado à data de conclusão.

Sindicatos desconvocam greve no Metro de Lisboa marcada para quarta-feira

No entanto, a Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações entregou um novo pré-aviso de paralisação para 25 de outubro.

Talent Protocol compra empresa canadiana ligada à blockchain

A escolha recaiu sobre a Agora Labs, fundada por um grupo de quatro adolescentes. Matthew Espinoza (agora com 20 anos) e Freeman Zhang (de 19 anos) juntam-se à equipa da startup portuguesa dos ‘tokens’ para profissionais talentosos.
Comentários