Como agarrar a bazuca europeia?

A economia portuguesa suspira pela ajuda europeia. Quando vai esta chegar e como vai ser utilizada? São questões às quais vamos responder na próxima JE editors Talks.

 

A pandemia trouxe consigo uma crise económica que, tendo ainda contornos indefinidos, já afetou grande parte da economia mundial. Portugal não é exceção, onde alguns dos setores mais importantes da economia nacional foram especialmente afetados.

Para combater a crise, a União Europeia aprovou um mega-pacote de ajuda aos Estados-membros. Portugal irá receber 45 mil milhões de euros através do plano de recuperação. Importa saber quando chegam estes fundos, onde irão ser aplicados e como se pode aceder a eles – estas são algumas das questões que mais preocupam o mercado nacional.

Estes temas irão estar em debate na próxima JE editors Talks: Guia Fundos Europeus em 2021, no dia 1 de abril às 17h00, na qual participam a Agência para o Desenvolvimento e Coesão e onde estará presente enquanto convidada especial a eurodeputada Margarida Marques. Esta iniciativa é um complemente ao caderno especial que acompanha O Jornal Económico (que pode ler aqui).

Pode assistir a esta conversa em direto no próximo dia 1 de abril, às 17h00, na JE TV, Facebook ou YouTube.

 

 

Este conteúdo patrocinado foi produzido em colaboração com a Agência para o Desenvolvimento e Coesão, I.P.

Recomendadas

A Mobilidade elétrica acelera a descarbonização das empresas

Na sua definição mais simples, descarbonizar significa “tirar carbono a”. E no caso da energia, significa que cada vez mais, queremos trocar as energias fósseis, que emitem gases de efeito estufa, por mais energias verdes, renováveis.

Euribor em máximos de uma década

O que pode fazer para cobrir a subida dos juros do seu empréstimo à habitação?

Mobilidade Sustentável: conheça a aposta da Schindler

Com a missão de ser cada vez mais sustentável, a Schindler estabeleceu para o ano de 2030 uma redução de 50% nas emissões de gases com efeito de estufa das suas atividades, com base nos dados de 2020.
Comentários