Como cancelar uma transferência bancária?

Segundo o Banco de Portugal, em 2018 foram realizadas 156,1 milhões de transferências em Portugal. Com tantas transações, é normal que possam existir erros nos destinatários. Assim, descubra neste artigo como poderá cancelar uma transferência bancária.

Segundo o Banco de Portugal, em 2018 foram realizadas 156,1 milhões de transferências em Portugal, que representaram 249,3 mil milhões de euros. Mas, com tantas transações, é normal que possam existir erros nos destinatários. Assim, descubra neste artigo elaborado pelo ComparaJá.pt como poderá cancelar uma transferência bancária.

 

As transferências bancárias têm mecanismos de segurança?

Sim, as transferências bancárias têm dois mecanismos de segurança que evitam a transação de dinheiro para outro beneficiário que não o desejado.

Por um lado, o próprio IBAN detém um sistema de segurança, que se traduz nos últimos dois dígitos. No entanto, estes podem ser iguais aos de outro IBAN, levando a que este mecanismo de segurança não funcione se introduzir um IBAN com números de segurança igual ao que queria digitar.

Por outro, tanto ao balcão como através do Multibanco, o consumidor consegue saber o nome do beneficiário antes de concluir a transação. Caso faça uma transferência via homebanking, esta informação não é disponibilizada.

No entanto, mesmo com estes dois métodos de segurança adicionais, é possível transferir o montante para o destinatário errado e, neste sentido, é importante saber como cancelar uma transferência bancária.

 

Cancelar uma transferência bancária só se apercebendo do engano após a transação

As transferências bancárias são procedimentos regularmente utilizados pelos portugueses que possuem uma conta bancária, uma vez que são fáceis de realizar e podem ser feitas de várias formas: através do Multibanco, de homebanking e do balcão da sua instituição financeira.

No entanto, é preciso atentar nos custos das transferências: ao balcão estas têm custos elevados, sendo que pelo Multibanco e via homebanking, por norma, são gratuitas (salvo se forem transferências interbancárias). É normal que os portugueses prefiram utilizar os métodos gratuitos, embora possam não ter mecanismos de segurança associados (como é o caso do homebanking).

Imagine que faz uma transferência para um amigo pelo homebanking e, por erro, coloca um dígito diferente, levando a que a operação seja feita para outro beneficiário. Se a ordem for aceite, mas reparar nisto de imediato, então conseguirá facilmente cancelar, uma vez que as transferências normais não são efetivadas no momento (ao contrário das transferências imediatas), existindo um período de tempo em que é possível reaver o seu dinheiro. Basta entrar em contacto com o seu banco ou instituição financeira e explicar o sucedido, para que este(a) cancele a transação.

 

Cancelar uma transferência bancária caso não perceba o erro de imediato

É possível não reparar de imediato que se enganou no destinatário da transação, seja por estar com pressa e por isso efetuou a transferência rapidamente, seja por não existir nome do beneficiário nas transações através de homebanking.

Portanto, pode dar-se o caso de realizar a transferência, a ordem ser aceite, o montante ser transferido e só reparar dias depois. Embora a resolução desta situação seja um processo mais moroso, conseguirá também cancelar a transferência bancária.

Neste caso, não se trata exatamente de cancelar uma transferência bancária, mas sim de uma devolução do montante enviado erradamente para um destinatário. O primeiro passo é contactar imediatamente a entidade financeira quando se aperceber do erro.

A instituição bancária, por sua vez, irá entrar em contacto com o destinatário ou com a entidade que tenha recebido o montante que transferiu. Se tudo correr bem, o recetor do valor irá devolver o dinheiro sem quaisquer problemas e a questão ficará resolvida.

Mas é ainda possível que o beneficiário não aceite devolver o montante em causa e, assim, terá de recorrer à via judicial. Este processo é mais demorado e acarreta custos, mas o mais provável será reaver o seu dinheiro, uma vez que o destinatário terá de justificar de onde vem o mesmo e não saberá como o fazer.

Cancelar uma transferência bancária pode ser um processo fácil, mas caso não repare a tempo, poderá causar-lhe muitas dores de cabeça. Como tal, o ideal é mesmo é verificar se introduziu corretamente o IBAN de destino e, após a transferência, confirmar novamente que não existiu nenhum erro.

Relacionadas

Como utilizar multibanco no telemóvel? Saiba quais são as várias possibilidades

Hoje em dia, mesmo que alguém se esqueça do cartão multibanco em casa, já é mais fácil realizar diversas operações através de um smartphone. Fique a conhecer as opções disponíveis.

6 Custos bancários que nem sabia que existiam (e pode evitar)

Há serviços onde, provavelmente, não sabia que estavam a ser cobradas comissões bancárias e com os quais pode reduzir os custos bancários. Descubra, neste artigo, seis encargos que pode facilmente evitar.

Serviços bancários: oito direitos que deve conhecer

No dia mundial dos direitos do consumidor, fique a conhecer alguns dos direitos dos quais o cliente bancário não deve abdicar.
Recomendadas

Respostas Rápidas: como deve investir a pensar na reforma?

Com uma estrutura demográfica cada vez mais envelhecida, as dúvidas em torno da sustentabilidade da Segurança Social no médio-prazo reforçam o papel da poupança privada no rendimento dos portugueses em reforma, pelo que importa compreender os vários instrumentos financeiros ao seu dispor.

Respostas rápidas: é assim que pode ir para a reforma antes dos 66 anos e sete meses

Não tem 66 anos e sete meses, mas quer ir para a reforma? Há vários regimes que permitem a antecipação da pensão de velhice. O Jornal Económico explica, com base num guia do ComparaJá.

Respostas Rápidas: como pode aceder ao complemento solidário para idosos ou outras pensões?

A propósito do Dia Internacional do Idoso e dado o envelhecimento cada vez maior da sociedade portuguesa, importa compreender como podem os contribuintes aceder a vários apoios disponibilizados pela Segurança Social.
Comentários