Como vai ser o ‘Brexit’? “Harmonioso e ordenado”, acredita May

A primeira-ministra britânica afirmou no Parlamento que o compromisso alcançado com Bruxelas sobre as condições de saída do Reino Unido da União Europeia vai permitir um ‘Brexit’ “harmonioso e ordenado”.

“Vamos sair [da UE], mas vamos fazê-lo de maneira harmoniosa e ordenada, estabelecendo uma nova parceria, estreita e especial, com os nossos amigos e, ao mesmo tempo, recuperando o controlo das nossas fronteiras”, disse May na apresentação, na Câmara dos Comuns, do acordo de princípio concluído na sexta-feira com a Comissão Europeia.

A primeira-ministra conservadora insistiu que a saída do país da UE vai ser boa tanto para os apoiantes do ‘Brexit’ como para os que votaram pela permanência, porque a saída vai ser efetiva e porque não vai acontecer sem um acordo.

“Disse sempre claramente que este não ia ser um processo fácil. Exigiu dar e receber do Reino Unido e da UE para podermos avançar. E foi isso que fizemos”, disse.

“Mas, naturalmente, nada está acordado até tudo estar acordado”, advertiu, acrescentando contudo acreditar “numa nova sensação de otimismo nas conversações”.

Theresa May confirmou, já na resposta ao líder do Partido Trabalhista, Jeremy Corbyn, que o Reino Unido vai sair da UE a 29 de março de 2019 e que o preço a pagar pelo Governo britânico é de 35 mil milhões a 39 mil milhões de libras (39,6 mil milhões a 44 mil milhões de euros).

Relacionadas

Fatura do Brexit é de 40 a 45 mil milhões de euros, diz porta-voz do governo britânico

O montante agora avançado pelo porta-voz governamental é inferior ao reclamado em outubro pelo presidente do Parlamento Europeu, Antonio Tajani, que indicou valores entre os 50 e os 60 mil milhões de euros.

Brexit: Reino Unido continua a contribuir para orçamento europeu até ao final de 2020

O documento determina que “o Reino Unido contribuirá para a implementação dos orçamentos anuais da União para os anos de 2019 e 2020, como se tivesse permanecido na União (incluindo o ajuste da receita)”, incluindo correções e multas.

O divórcio entre o Reino Unido e a Europa terá um custo de 39.000 milhões de libras

“O processo de desglobalização que implica o Brexit significará preços mais altos e a probabilidade de maiores taxas de juros para manter a inflação sob controle”, disse Carney, Governador do banco central britânico. “O BoE usará as suas ferramentas para controlar a política monetária e alcançar a estabilidade de preços. A era das taxas de juros mínimas parece estar a chegar ao fim”, concluiu.
Recomendadas

Comunidades pedem a António Costa que resolva “discriminação” de pensionistas

O Conselho Regional das Comunidades Portuguesas na Europa (CRCPE) endereçou hoje uma carta ao primeiro-ministro de Portugal a solicitar a atualização das pensões e reformas para evitar perdas do valor futuro das pensões e reformas dos portugueses no estrangeiro.

JMJLisboa2023. Portugal terá retorno económico de cerca de 350 milhões de euros

A Jornada Mundial da Juventude (JMJ), que se realiza no próximo mês de agosto em Lisboa, vai ter um retorno económico para Portugal de cerca de 350 milhões de euros, revelou hoje o coordenador do evento nomeado pelo Governo.

Câmara de Grândola aprova nova descida do IMI e alargamento do IMI familiar

A Câmara Municipal de Grândola aprovou, na passada quinta-feira, as propostas de redução do IMI de 0,34% para 0,33%, e de alargamento do IMI familiar para famílias com um dependente. Reduções que são para vigorarem em 2023.
Comentários