Premium‘Compliance Officer’: Polícia de empresa além-fronteiras com trabalho extra

Joana Simões Ferreira, da norte-americana Oracle, e Joaquim Triadú i Vila-Abadal, do grupo espanhol Mediapro, falaram da importância de um código de conduta adaptado às necessidades locais.

O compliance officer (diretor de compliance) de uma multinacional ou de um grande grupo empresarial tem diligências extra às quais tem de estar atento e que implicam zelar para que as políticas e obrigações a nível global sejam aplicadas às subsidiárias. A este profissional cujas funções passam por olhar a empresa como um todo, compreender os seus procedimentos, aplicar códigos de conduta e monitorizar os mecanismos usados para mitigar ou analisar os riscos é exigido um esforço redobrado de unanimidade e, simultaneamente, heterogeneidade tendo em conta as particularidades (até culturais) de cada jurisdição.

Para Joana Simões Ferreira, legal da Oracle Portugal, procurar o equilíbrio nesta “corda-bamba” e garantir que os regulamentos internacionais ecoam nas várias repartições trata-se de uma tarefa tanto “ingrata” como “desafiante”. “Os nossos códigos e políticas de conduta são aplicados a fornecedores e parceiros. Fazemos uma distribuição do nível de diligência que é incutido à casa-mãe”, explicou. A responsável jurídica da multinacional de tecnologia e informática lançou a questão: “Numa empresa movida pelo volume de vendas e cujos trabalhadores são remunerados consoante o mesmo, conseguem imaginar o que é assegurar que todos os negócios cumprem com a ética e os interesses pessoais dos colaboradores não ultrapassam as políticas que têm de respeitar?”.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor.

Recomendadas

“Falar Direito”. “Diploma da renegociação cria ónus sobre bancos que têm crédito à habitação”

O advogado Francisco Barona, sócio do departamento financeiro e governance da Sérvulo, explica quais são, na sua perspetiva, os dois principais problemas associados ao novo diploma relativo à renegociação de créditos.

Renegociação de créditos: o que muda com a nova lei? Ouça o “Falar Direito”

O advogado Francisco Barona, sócio do departamento financeiro e governance da Sérvulo, explica o que muda para consumidores e banca com a entrada em vigor do novo diploma relativo à renegociação de créditos.

SRS Legal assessora a private equity Gyrus Capital na compra do grupo de tecnologia KRS

A SRS Legal assessorou a Gyrus Capital, um dos principais gestores suíços de fundos de Private Equity, na aquisição do KSR Group (incluindo a subsidiária portuguesa KSR) e do Grupo Xcability (incluindo a subsidiária portuguesa Xcability).
Comentários