PremiumConcurso para novos comboios da CP com quatro meses de atraso

O presidente da CP garantiu no Parlamento, a 4 de setembro, que podia avançar com o concurso para a compra de comboios no dia a seguir ao Governo autorizar. O Conselho de Ministros deu luz verde ao investimento a 6 de setembro, mas nada aconteceu.

Cristina Bernardo

É um assunto incómodo, para o qual os diversos responsáveis não dão explicações. Apesar de o Governo já ter autorizado, em Conselho de Ministros, no passado dia 6 de setembro, a administração da CP a lançar um concurso público internacional para a aquisição de material circulante, nada ocorreu nos três meses e meio que passaram, sabendo o Jornal Económico que esse procedimento já não vai ser lançado este ano, tendo resvalado para 2019.

Questionado sobre as razões desta misteriosa ausência de decisão por parte da transportadora ferroviária nacional, fonte oficial do Ministério do Planeamento e das Infraestruturas, que tutela a empresa, rejeitou qualquer explicação, avançando apenas que o referido concurso para a aquisição de novos comboios para a CP será “lançado na primeira semana de janeiro”. A confirmar-se, o concurso será lançado quatro meses depois de o Governo o ter autorizado. Igualmente questionada sobre a razão de ser deste atraso, a CP respondeu que tomou nota das questões colocadas pelo Jornal Económico, remetendo esclarecimentos sobre o assunto para “quando houver informação a divulgar sobre o tema”.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor.

Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta segunda-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcaram o dia informativo desta segunda-feira.

Renegociação de créditos: o que muda com a nova lei? Veja o “Falar Direito”

Nesta edição, que conta com a presença do advogado Francisco Barona, sócio do departamento financeiro e governance da Sérvulo, tentamos perceber o que muda com este diploma para consumidores e banca, numa entrevista conduzida pela jornalista Mariana Bandeira.

Estudo descarta ligação direta do metrobus à Mealhada

Um estudo encomendado pela Comunidade Intermunicipal (CIM) da Região de Coimbra para a expansão do Sistema de Mobilidade do Mondego (SMM) descarta a ligação direta à Mealhada, por não conseguir competir com a ferrovia.
Comentários