Condenação do estatuto de candidato à UE revela fraqueza do Kremlin

O ministro dos Negócios Estrangeiros ucraniano afirmou este sábado que a condenação do Kremlin de uma “garra geopolítica” dirigida à Rússia, na sequência da atribuição à Ucrânia e à Moldova de estatuto de candidato à UE “mostra a sua fraqueza”.

Michael Parulava/Unsplash

“Tudo o que resta à Rússia é lançar ameaças contra outros Estados, após décadas de políticas falhadas baseadas na agressão, coerção e desrespeito. Isto só mostra a fraqueza da Rússia”, disse o chefe diplomático ucraniano, Dmytro Kouleba, na rede social Twitter.

“Estamos ao lado do povo e do governo da Moldova amiga face às renovadas ameaças de Moscovo”, acrescentou o ministro dos Negócios Estrangeiros ucraniano.

Na sexta-feira, a diplomacia russa denunciou a decisão da UE-27 de conceder à Ucrânia e à Moldova o estatuto de candidatos, encarando-a como uma manobra geopolítica contra Moscovo, no meio de uma invasão do seu vizinho ucraniano.

Esta decisão “confirma que uma aquisição geopolítica da área da CEI (a Comunidade de Estados Independentes, que reúne vários países da ex-URSS) está a ser ativamente prosseguida, a fim de conter a Rússia”, lamentou a porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros russo, Maria Zakharova.

Na sua opinião, o objetivo da UE é “estabelecer relações com as regiões da sua vizinhança, com base no princípio do mestre-escravo”.

Afirmou também que Bruxelas estava a utilizar “métodos de chantagem política e económica” e a pressionar os Estados candidatos a impor “sanções ilegítimas” a Moscovo.

Os líderes da UE-27 reconheceram a Ucrânia e a Moldova, duas antigas repúblicas pró-soviéticas, como candidatas à UE, numa cimeira realizada quinta-feira, em Bruxelas. A decisão marca o início de um longo e complexo processo de adesão.

Recomendadas

Ucrânia: Recrutamento de voluntários para a frente de batalha já chegou às prisões russas

Homens com farda militar visitaram uma prisão em São Petersburgo, onde ofereceram amnistia em troca da integração dos prisioneiros nas forças russas.

Ucrânia. Conferência de doadores garante mais 1.500 milhões para equipamento e treino militar

A conferência internacional de doadores que reuniu 26 países em Copenhaga permitiu arrecadar 1.500 milhões de euros em equipamento e treino para as tropas ucranianas, divulgou esta quinta-feira o ministro da Defesa dinamarquês.

Primeiro navio com cereais ucranianos chega à Turquia e espera comprador (com áudio)

O primeiro navio carregado de milho que deixou o porto ucraniano de Odessa, no Mar Negro, rumo ao Líbano, atracou no porto turco de Mersin e aguarda um comprador para a mercadoria, confirmou fonte diplomática da Ucrânia.
Comentários