Condenações por corrupção duplicaram numa decáda

Entre 2011 e 2020 foram constituídos 1.168 arguidos por suspeitas de corrupção e, destes, 53% foram condenados, diz o “Jornal de Notícias”.

Nos últimos dez anos as condenações por corrupção dispararam para 74% segundo o “Jornal de Notícias“, face aos 35% registados em 2011.

Apesar de ter existido uma melhoria no combate à corrupção a falta de meios é apontada por todos os agentes judiciários consultados pelo jornal como um obstáculo à tentativa de minimizar o impacto deste tipo de crimes que teve perto de cinco mil inquéritos realizados nos últimos dez anos.

Entre 2011 e 2020, foram constituídos 1.168 arguidos por suspeitas de corrupção e, destes, 53% foram condenados. Sobre o combate à corrupção o presidente do Sindicato dos Magistrados do Ministério Público (MP), Adão Carvalho, justificou que “a própria forma como o MP se organizou, com a especialização, através da criação de departamentos de investigação e Ação Penal permitiu maior funcionalidade”.

Relacionadas

“Deve haver uma gestão eficaz dos canais de denúncia e prevenção da corrupção”, garante advogado Paulo de Sá e Cunha

O advogado Paulo de Sá e Cunha, sócio da Cuatrecasas Portugal, foi o convidado desta edição do “Falar Direito” programa de advocacia da plataforma multimédia JE TV. Os desafios da reforma judicial em Portugal, a formação jurídica e o novo projeto da Cuatrecasas Portugal foram os temas em análise.

Congresso internacional sobre anticorrupção reúne mais de 50 investigadores na Madeira

A programação irá debruçar-se sobre os seguintes temas: Anticorrupção, Compliance criminal e Lavagem de capitais; Direito Digital, Inteligência Artificial e Proteção de dados e privacidade; Compliance na Educação, Compliance na Saúde e Compliance laboral; Compliance ambiental, Compliance público,  Gestão de crises, Governança e Sistemas de Compliance; Compliance para as instituições financeiras, Compliance tributário, entre outros.
Recomendadas

Ivo Rosa admite que desistia da candidatura à Relação se soubesse da acusação no processo disciplinar

O magistrado está convencido de que estava “absolutamente inocente” em relação aos factos invocados na ação do órgão de gestão e disciplina dos juízes e reiterou que “o único desfecho seria o arquivamento do processo disciplinar”.

Diferendo entre Ordem dos Advogados e Conselho de Deontologia de Lisboa volta “à estaca zero”

O despacho deixa o recurso apresentado em janeiro desse ano pelo bastonário, Luís Menezes Leitão, novamente por decidir, contrariando o próprio entendimento que esta 3.ª Secção do CS havia tido anteriormente.

Luís Menezes Leitão formaliza recandidatura a bastonário da Ordem dos Advogados

O atual bastonário da Ordem dos Advogados, Luis Menezes Leitão, anunciou que formalizou esta terça-feira em Lisboa a sua recandidatura ao cargo para o triénio 2023-2025.
Comentários