Confagri considera “urgente” a reformulação da composição do Conselho Nacional da Água

A confederação considera “insuficiente” a representação da agricultura naquele que é um órgão de consulta do Governo, depois de o secretário-geral ter revelado “desconhecimento”, de acordo com uma nota de imprensa

A Confagri entende que é “urgente” a reformulação da estrutura e do funcionamento do Conselho Nacional da Água, na sequência das declarações do secretário-geral, Joaquim Poças Martins. Na origem, está a “insuficiente” representação da agricultura naquele que é um órgão de consulta do Governo.

A Confederação Nacional das Cooperativas Agrícolas e do Crédito Agrícola de Portugal fez saber da sua posição através de uma nota de imprensa, durante a tarde desta terça-feira, onde se diz que “o desconhecimento revelado e os juízos de valor sobre a agricultura nacional e os agricultores apresentados pelo secretário-geral daquele órgão são inaceitáveis.”

Na nota, refere-se “de acordo com o relatório ‘Regadio 2030’, em Portugal, o consumo médio de água por hectare regado passou, em algumas décadas, de 15 mil para quatro mil metros cúbicos por hectare , valor médio que se verifica na atualidade.”

Perante a necessidade de poupar água em benefício da sociedade, o foco do Conselho Nacional da Água, de acordo com a Confagri, deveria ser a “maximização do aproveitamento das afluências das principais albufeiras das bacias hidrográficas.” A confederação alega uma “capacidade atual de retenção de apenas 20%”, assim como lembra a importância de uma “melhoria dos sistemas de abastecimento públicos que chegam a ter perdas de 80%.”

A Confagri considera “urgente” uma reformulação ao nível do Conselho Nacional da Água e respetiva composição e atira que “é sempre mais fácil atacar a agricultura e os agricultores.”

Recomendadas

PremiumEólicas avançam para tribunal contra cortes de João Galamba (com áudio)

Despacho de Galamba procedeu a mudanças nas contas do famoso decreto-lei 35/2013, aprovado pelo Governo Passos Coelho. Quatro empresas decidiram recorrer à justiça para travar decisão do Governo.

Energia. Ramada alerta para “possibilidade do fecho temporário de siderurgias” no inverno

O grupo Ramada, com atividade na indústria do aço, alertou para a “possibilidade de fecho temporário de siderurgias” no inverno devido aos preços de energia ou de ser decretado o encerramento de empresas de alto consumo.

Proposta de teto na bolsa europeia de gás “não serve para Portugal”, diz Galamba

O Governo defendeu hoje que a proposta da Comissão Europeia sobre mecanismo de último recurso para teto aos preços na principal bolsa europeia de gás natural “não serve para Portugal” da forma como está delineada por “misturar” assuntos.
Comentários