Conferência sobre futuro da Europa “não é um exercício intelectual ou de compromisso político”, diz von der Leyen

No discurso de abertura do evento que decorre em Estrasburgo, a presidente da Comissão Europeia salientou que este é o momento de ouvir todas as vozes, sejam de críticas ou elogios. “Os europeus devem tentar encontrar um equilíbrio justo”, frisou.

Olivier Hoslet / EPA

Ursula von der Leyen alerta para a necessidade de não transformar a conferência sobre o futuro da Europa, num “exercício intelectual ou de compromisso político”. A presidente da Comissão Europeia (CE) marca presença no evento que decorre este domingo, 9 de maio, na cidade francesa de Estrasburgo.

“Esta conferência é para todos os europeus, para debater uma visão partilhada daquilo que queremos da União Europeia. Temos que assegurar que este não é um exercício intelectual ou de compromisso político. Temos que ouvir todas as vozes, sejam de críticas ou elogios e assegurar que acompanhamos e fazemos aquilo que for acordado”, afirmou.

A líder da CE avisou também que a Europa não deve subestimar o poder do bem que pode sair desta conferência para as pessoas individualmente e a sociedade no seu todo. “A União Europeia tem de ser aquilo que os europeus quiserem. Existem algumas dicotomias e questões que devemos tentar resolver. Alguns pensam que a Europa está demasiado envolvida nas suas vidas, para outros está demasiado distante. Os europeus devem tentar encontrar um equilíbrio justo”, salientou.

Outra das grandes preocupações manifestadas por Ursula von der Leyen são os efeitos causadas pela pandemia nos jovens, quer no presente, quer no seu futuro. “Esta pandemia roubou mais de um ano às suas vidas, experiências e emoções que todos os jovens precisam. Não podemos substituir o tempo perdido e que a pandemia roubou ao jovens, mas podemos pensar num resultado mais justo e de algo melhor que possamos construir com eles”, realçou.

Depois de ter participado na Cimeira Social, do Conselho Europeu informal e da reunião de líderes UE-Índia entre sexta-feira e sábado, a presidente da Comissão Europeia esteve este domingo, na cerimónia oficial de lançamento da Conferência sobre o Futuro da Europa.

O evento que decorre na cidade francesa de Estrasburgo junta também António Costa, enquanto presidente em exercício do Conselho da União Europeia (UE), o presidente do Parlamento Europeu, David Sassoli e o presidente francês Emmanuel Macron.

Prevista originalmente para ter início em maio de 2020 e durar dois anos, a conferência foi adiada não só devido à pandemia da covid-19, mas também a diferenças em torno do modelo de governação deste fórum, ultrapassadas apenas este ano, já durante a presidência portuguesa da UE, e prolongar-se-á até ao verão de 2022.

Relacionadas

Conferência sobre futuro da Europa: Costa apela “ao debate das vontades dos cidadãos e não em negociações entre Estados”

O primeiro-ministro falou na cerimónia de abertura do evento que decorre este domingo em Estrasburgo, enquanto presidente em exercício do Conselho da União Europeia (UE). “Se queremos ter sucesso não podemos iludir as dificuldades”, referiu.

UE/Presidência: Do Porto a Estrasburgo para a inauguração da Conferência sobre Futuro da Europa

Depois de dois dias de cimeira no Porto, vários líderes europeus, incluindo o primeiro-ministro António Costa, estarão este domingo em Estrasburgo, no Dia da Europa, para a inauguração oficial da conferência de reflexão sobre o futuro do projeto europeu.
Recomendadas

Ricardo Leão: “Falta, acima de tudo, comunicação e coordenação no Governo”. Veja o “Discurso Direto”

Discurso Direto é um programa do Novo Semanário e do Jornal Económico onde todas as semanas são entrevistados os protagonistas da política, da economia, da cultura e do desporto. Veja a entrevista a Ricardo Leão, presidente da Câmara Municipal de Loures eleito pelo PS.

Costa contraria ideia de empobrecimento e afirma que Portugal está a crescer mais do que Alemanha, França e Espanha

Dados de Costa surgem dias depois das previsões de Outono da Comissão Europeia, cujas mais recentes previsões indicam que em 2024 a Roménia ultrapassará Portugal no ranking de desenvolvimento económico da UE.

Presidente do PS pede ao Governo apurado sentido de orientação e maior rigor nas condutas

Este aviso foi transmitido por Carlos César através de uma mensagem vídeo na sessão do PS evocativa dos sete anos de governos socialistas liderados por António Costa, que decorre na estação fluvial do Terreiro do Paço.
Comentários