Confiança dos consumidores volta a recuar e clima económico aumenta em novembro

De acordo com os ‘Inquéritos de Conjuntura às Empresas e aos Consumidores’ do Instituto Nacional de Estatística (INE), “o indicador de confiança dos consumidores diminuiu entre setembro e novembro, apenas marginalmente no último mês, atingindo um valor próximo do registado em abril de 2020 no início da pandemia”.

Moda e Inteligência Artificial

A confiança dos consumidores diminuiu “marginalmente” em novembro, para um valor próximo do registado no início da pandemia, e o indicador de clima económico aumentou, após ter recuado entre agosto e outubro, divulgou hoje o INE.

De acordo com os ‘Inquéritos de Conjuntura às Empresas e aos Consumidores’ do Instituto Nacional de Estatística (INE), “o indicador de confiança dos consumidores diminuiu entre setembro e novembro, apenas marginalmente no último mês, atingindo um valor próximo do registado em abril de 2020 no início da pandemia”.

O saldo das opiniões dos consumidores sobre a evolução passada dos preços diminuiu em novembro, após ter renovado em outubro o valor máximo da série, na sequência da trajetória marcadamente ascendente iniciada em março de 2021.

Quanto ao indicador de clima económico, “aumentou em novembro, após ter diminuído entre agosto e outubro”, com os indicadores de confiança da indústria transformadora, da construção e obras públicas, do comércio e dos serviços a aumentarem relativamente a outubro.

Segundo o INE, “os saldos das expectativas dos empresários sobre a evolução futura dos preços de venda diminuíram na indústria transformadora, no comércio e, de forma ligeira, na construção e obras públicas, enquanto nos serviços este saldo aumentou, embora permanecendo num nível inferior ao máximo da série registado em abril”.

Recomendadas

PremiumLeia aqui o Jornal Económico desta semana

Esta sexta-feira está nas bancas de todo o país a edição semanal do Jornal Económico. Leia tudo na plataforma JE Leitor. Aproveite as nossas ofertas para assinar o JE e apoie o jornalismo independente.

Dois terços dos municípios aplicam derrama de IRC sendo 127 com taxa máxima

Dois terços dos municípios portugueses vão cobrar derrama de IRC às empresas instaladas nos seus concelhos, havendo 127 que aplicarão o valor máximo de 1,5%, segundo a tabela de taxas agora divulgada pelo fisco.

Governo aprova extinção do fundo de pensões da Caixa

A extinção do fundos de pensões da CGD já está aprovada. Os beneficiários não serão, contudo, prejudicados, já que as responsabilidades passam para a CGA.
Comentários