Confirmada primeira morte por Monkeypox no Brasil

O homem esteve internado no hospital público em Belo Horizonte, na unidade de cuidados intensivos e a causa da morte apontada foi choque séptico, agravado pela infeção do vírus Monkeypox.

Science Photo Library

O Brasil contabilizou, esta sexta-feira, a primeira morte por varíola dos macacos, informou o o Ministério da Saúde brasileiro citado pela “CNN Brasil”.

A morte foi de um homem, de 41 anos, internado em Belo Horizonte, e o Ministério da Saúde diz que o paciente apresentava baixa imunidade e comorbidades, incluindo um quadro de linfoma, cancro no sistema linfático, que levaram ao agravamento clínico.

O homem esteve internado no hospital público em Belo Horizonte, na unidade de cuidados intensivos. A causa da morte foi apontada como choque séptico, agravado pela infeção do vírus Monkeypox.

Assim, o Brasil torna-se no primeiro país, fora de África a registar morte por Monkeypox. Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) apontam que, de janeiro até o dia 22 de julho, cinco mortes foram registadas no mundo por varíola dos macacos, todas no continente africano.

Na quinta-feira, o Ministério da Saúde brasileiro passou a usar o termo “surto” ao divulgar informações relativas aos casos da doença no país.

Esta semana, o Ministério da Saúde disse que existem 813 casos de Monkeypox no Brasil. A líder técnica para Monkeypox da OMS, Rosamund Lewis, já considerou “muito preocupante” a situação no Brasil com a varíola dos macacos, segundo a “Folha de São Paulo”.

No mundo, a doença já infetou mais de 17 mil pessoas. O Brasil está posicionado como sexto país como mais casos de varíola dos macacos. Espanha, Alemanha, Reino Unido e França figuram entre os países com maior número de infetados.

Portugal também tem um número considerável de casos por Monkeypox. Os últimos dados da Direção Geral de Saúde (DGS), divulgados na quarta-feira, dão conta de que existem “633 casos confirmados” da doença no país.

A DGS também indica que a “16 de julho foi iniciada a vacinação dos primeiros contactos próximos de casos” e que até 27 de julho, foram vacinadas no país 59 pessoas.

 

 

Relacionadas

Monkeypox. OMS recomenda redução do número de parceiros sexuais

A Organização Mundial da Saúde (OMS), face ao surto de Monkeypox em vários países, recomendou hoje aos homens que praticam sexo com outros homens que reduzam o número de parceiros sexuais.

Portugal já implementou as medidas fundamentais para responder ao surto da varíola dos macacos, diz DGS

Reação da Direção Geral da Saúde segue-se à decisão da Organização Mundial da Saúde de decretar este sábado, 23 de julho, a emergência de saúde pública internacional.

OMS declara surto de varíola-dos-macacos emergência de saúde pública internacional

A Organização Mundial da Saúde subiu este sábado, 23 de julho, o nível de alerta numa altura em que estão notificados mais de 16 mil casos em 75 países.
Recomendadas

Pentágono afirma que 80 mil soldados russos foram mortos ou feridos na Ucrânia

Cerca de 80.000 soldados russos foram mortos ou feridos desde o início da invasão da Ucrânia, disse hoje o número três do Pentágono, Colin Kahl, salientando que os alvos anunciados pelo Presidente russo, Vladimir Putin, ainda não foram atingidos.

Lapid diz que Israel “cumpriu todos os objetivos” no ataque à Faixa de Gaza

O primeiro-ministro israelita Yair Lapid afirmou hoje que a Operação Amanhecer contra a Jihad Islâmica em Gaza “cumpriu todos os seus objetivos” e que a totalidade do alto comando militar do grupo “foi atacado com êxito em três dias”.

Brasil/Eleições. Juíza pede à PGR investigação contra Bolsonaro por ataque às urnas eletrónicas

A juíza Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF) do Brasil, enviou esta segunda-feira à Procuradoria-Geral da União (PGR) um pedido de investigação contra o Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, por ter feito ataques ao sistema eleitoral num encontro com embaixadores.