Conflito armado na Ucrânia deve gerar 8,3 milhões de refugiados

Os dados não são tão otimistas e apontam que mais de 12,7 milhões de pessoas já abandonaram as suas casas nos últimos dois meses.

As Nações Unidas atualizaram as suas previsões iniciais e estimam agora que a guerra na Ucrânia possa gerar 8,3 milhões de refugiados dentro do território e também para outros países europeus, revelou um porta-voz, citado pela “Reuters”.

Os dados não são tão otimistas e apontam que mais de 12,7 milhões de pessoas já abandonaram as suas casas nos últimos dois meses, ou seja, desde que o conflito armado começou. Cerca de 7,7 milhões de ucranianos moveram-se dentro do próprio país e mais de cinco milhões passaram as fronteiras estabelecidas.

No início, as Nações Unidas perspetivavam a existência de quatro milhões de refugiados ao longo da guerra, mas devido à extensa duração do conflito decidiu realizar um novo balanço. Os quatro milhões de refugiados foram atingidos um mês depois do início da invasão, a 24 de fevereiro.

A nova perspetiva eleva o número de refugiados provenientes da Síria, considerada atualmente a maior crise de refugiados do século, que já chegou aos 6,8 milhões de pessoas a fugir do país em conflito.

Recomendadas

Zelensky invoca ‘O Grande Ditador’ de Chaplin em Cannes

“O cinema vai ficar calado ou vai falar sobre isto? Se houver um ditador, se houver uma guerra pela liberdade, novamente, tudo depende da nossa unidade. O cinema pode ficar de fora?”, questionou. Por fim, disse que a sua crença é a mesma do clássico cinematográfico: “a liberdade não morrerá”.

Ginasta russo banido por um ano por usar símbolo pró-Putin em competição ganha pela Ucrânia

Ivan Kuliakd deve também devolver a medalha e reembolsar o prémio em dinheiro de 500 francos suíços (cerca de 477 euros) e pagar uma contribuição dos custos do processo no valor de 2.000 francos suíços (1908 euros). O russo pode pedir o recurso nos próximos 21 dias.

Human Rights Watch denuncia tortura e execuções de civis pelas forças russas

A organização não-governamental (ONG) Human Rights Watch (HRW) denunciou hoje execuções sumárias, torturas e outros abusos graves cometidos sobre civis pelas forças russas que controlam grande parte das regiões ucranianas de Kiev e Chernihiv.
Comentários