Congresso dos EUA aprova financiamento do governo até 19 de janeiro

A legislação sobre o financiamento do governo federal evita que este tivesse de ter parado à meia-noite.

Jim Lo Scalzo/REUTERS

O Congresso norte-americano, liderado pelos republicanos, aprovou uma autorização temporária de despesa para evitar que os serviços do governo federal fossem encerrados a partir de hoje.

A medida foi aprovada na Câmara dos Representantes, por 231 votos contra 188, e depois pelo Senado, com 66 votos favoráveis e 32 contrários.

Os congressistas cumpriram assim um serviço mínimo, num ‘sprint’ dirigido a um período de férias, adiando para o próximo ano disputas sobre imigração, cuidados de saúde e orçamento.

A legislação sobre o financiamento do governo federal evita que este tivesse de ter parado à meia-noite de hoje.

A proposta de lei aprovada permite que o governo funcione normalmente até 19 de janeiro e inclui medidas como o desbloqueio de centenas de milhões de dólares para construir uma base de mísseis no Alasca e reparar dois navios envolvidos em acidentes recentes.

Um programa público de seguro doença para 8,9 milhões de crianças, designado CHIP, vai ter a autorização prolongada até 31 de março, o que permite evitar qualquer falha na cobertura.

E também foi autorizado um programa de vigilância de telecomunicações na internet fora dos EUA, até 19 de janeiro, cujo prazo inicial acabava no final do ano.

Recomendadas

PremiumPutin une extremos na oposição ao Ocidente

As franjas mais extremas europeias convergem no apoio a Putin, unidas por um antiamericanismo reforçado, à esquerda, por uma orfandade do comunismo soviético e, à direita, pela admiração por um regime iliberal e autocrático.

Moçambique baixa receitas fiscais do gás ao fundo soberano para 40%

Moçambique deverá ser um dos maiores exportadores mundiais de gás a partir de 2024, beneficiando não só do aumento dos preços, no seguimento da invasão da Ucrânia pela Rússia, mas também pela transição energética.

Eleições do Brasil: Lula da Silva vota em eleição que pode definir o seu regresso ao Governo

Além de Lula da Silva e Bolsonaro, disputam as presidenciais brasileiras os candidatos Ciro Gomes, Simone Tebet, Luís Felipe D’Ávila, Soraya Tronicke, Eymael, Padre Kelmon, Leonardo Pericles, Sofia Manzano e Vera Lúcia.
Comentários